Tamanho do texto

Entidade máxima do futebol está preocupada com a evolução do esporte no país africano

Nesta sexta-feira, a Fifa enviou uma carta à Federação Nigeriana de Futebol (NFF) expressando sua grande preocupação com as ações tomados pelo poder público que acabam afetando a própria federação futebolística e, consequentemente, a evolução do esporte no país.

A entidade máxima do futebol soube que a federação estava sofrendo processos judiciais que proibiam seu presidente, os membros do Comitê Executivo e do Congresso da NFF de cuidar dos assuntos do futebol nigeriano. Além disso, o presidente da NFF, Aminu Maigari, foi detido por representantes do Departamento do Serviço de Segurança do Estado. Por isso, o ministro do Esporte nomeou um diretor-assistente para assumir o comando da federação.

Pelo Estatuto da Fifa, todas as suas associações-membro têm de gerir seus negócios de forma independente e sem a influência de terceiros. Desse modo, as atitudes descritas seriam uma interferência indevida nos assuntos da NFF, que impedem sua autonomia. A Fifa ainda garantiu que não irá reconhecer qualquer pessoa ou órgão não eleito em conformidade com os estatutos da Federação Nigeriana e, portanto, não irá considerar a nomeação feita pelo ministro do Esporte.

A NFF convocou um congresso para o dia 26 de agosto deste ano e, só em seguida, as decisões tomadas serão consideradas legítimas.

A Federação da Nigéria tem até a próxima terça-feira para restabelecer seus funcionários e, se isso não ocorrer, o caso será encaminhado aos órgãos da Fifa responsáveis pelas sanções, o que pode culminar na suspensão da federação.

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas