Tamanho do texto

Novo técnico, apresentado há mais de uma semana, ainda não teve contato com os jogadores. Ele assume após a Copa

Alberto Valentim orienta o Palmeiras
Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação
Alberto Valentim orienta o Palmeiras

Ricardo Gareca preferiu não conversar com os jogadores e só acompanhá-los à distância, o que gera expectativa nos futuros comandados. Responsável por estar à frente do Palmeiras até este domingo, quando o time enfrenta o Grêmio, o interino Alberto Valentim aponta ansiedade do elenco para conhecer o argentino.

"Tenho conversado com os jogadores e eles têm ansiedade porque querem conhecer o trabalho dele", disse Alberto, que só teve o segundo encontro com o técnico nessa quinta-feira, quando definiu com Gareca que o time voltará de folga em 13 de junho e passará, ao menos, uma semana treinando em Atibaia antes de o argentino estrear no clube no dia 16, contra o Santos, na Vila Belmiro.

Veja como está a classificação do Campeonato Brasileiro

O interino, que só tinha almoçado uma semana antes com o técnico, gostou da nova conversa. "Ele está supermotivado. Teremos um período junto em hotel e treino de manhã e de tarde para conhecê-lo a fundo e pegar o mais rápido o seu jeito de trabalhar para recomeçar os jogos com 100% de conhecimento do elenco e do futebol brasileiro", projetou.

O elenco, contudo, ainda não pôde ter nenhuma impressão do novo chefe. "Perguntei se ele queria ter contato com os jogadores e ele não quis atrapalhar. Mas está acompanhando muito de perto. Viu todos os jogos, pegou vídeo dos antigos, tem o preparador físico dele aqui... Ou seja, estão longe, mas, na verdade, acompanham de perto", defendeu Alberto, ansioso pela intertemporada com o argentino.

"A parada será muito benéfica porque vai facilitar para o novo treinador e seus auxiliares conhecerem os jogadores e eles conhecerem sua metodologia. Temos que conhecer como ele gosta de trabalhar. Os primeiros dias serão de conversa para que também saiba saber como ele gosta que o auxiliar trabalhe", afirmou.

Contestado e sem acordo para ficar, Juninho pede para sair do Palmeiras

Mesmo sem ser mais do que um observador, Gareca já sentiu a pressão palmeirense ao ver protesto no qual foi necessário a polícia intervir para o presidente Paulo Nobre deixar o estádio em Presidente Prudente após a derrota para o Botafogo, na quarta-feira. Mas a ação não assustou o argentino, segundo avalia Alberto.

"O torcedor está esperando o Ricardo com o lado positivo, com certeza vão nos apoiar. Clube grande tem pressão e a torcida do Palmeiras é exigente, mas apaixonada, sempre apoia, mesmo que venha em número menor", indicou o interino.

Dúvidas

Valentim faz mistério para o seu último jogo como técnico do Palmeiras. O interino não revela quem substituirá Wesley, suspenso, diante do Grêmio, no domingo, e só vai definir em treino fechado na manhã deste sábado se relacionará Bruno César, recém-recuperado de lesão muscular, para a viagem a Caxias do Sul.

Sobre a novidade na vaga de Wesley, expulso na derrota para o Botafogo, Alberto diz ainda não ter escolhido quem entra no time. "Estou com duas, três opções e tenho o apronto final amanhã (sábado) na parte tática para definir", desconversou.

Elenco do Palmeiras tem certeza de que reforços virão durante a Copa

O treino da tarde desta sexta-feira, o último com a presença da imprensa na Academia de Futebol, não deu pistas. O elenco foi dividido sem definição de reservas ou titulares em atividade técnica em campo reduzido e, na parte final, os suplentes enfrentaram a equipe sub-20 do clube.

Do lado de fora, com exceção do goleiro Fábio, ficaram os titulares garantidos: Wendel, Lúcio, Marcelo Oliveira, William Matheus, Renato, Felipe Menezes, Marquinhos Gabriel, Diogo e Henrique. Para a vaga de Wesley, Wellington é o maior candidato, entrando na zaga e deslocando Marcelo Oliveira para o meio-campo. Outra opção seria a entrada de Josimar, sem mexer na estrutura tática da equipe, ou Tiago Alves na zaga.

Bruno César, que não joga desde 20 de abril por lesão na coxa direita, só começou a treinar com bola nesta semana. Nesta sexta-feira, atuou ao lado de Wesley e Juninho, dois nomes que estão fora do jogo - o volante está suspenso e o lateral pediu para sair do clube -, formando um time com jogadores do sub-20. Mas o meia ainda tem chance de viajar.

"Não está descartada a convocação do Bruno. Ele ficou parado por mais de um mês e recomeçou agora os treinos com bola. Vamos esperar até amanhã para decidir se ele vai para o jogo, para não acelerar nem prejudicá-lo", despistou Alberto, mais uma vez.

Se viajar, é improvável que Bruno César seja titular. Como Valdivia treina com a seleção chilena para a Copa do Mundo e Mendieta segue em tratamento de entorse no tornozelo direito, Felipe Menezes continua na equipe e sob elogios do treinador.

"O Valdivia é um jogador acima da média no Brasil, não é à toa que é chamado de Mago. Faz falta, assim como o Bruno César, que está entre os mais técnicos do elenco, e o Mendieta, que teve azar. Mas gostei do Felipe Menezes na quarta-feira. Teve uns dez minutos em que errou dois, três passes seguidos, mas deu uma dinâmica boa, o time estava bem com ele", analisou Alberto.

Além de Valdivia, Mendieta e Wesley, seguem como desfalques o goleiro Fernando Prass e o zagueiro Thiago Martins, machucados, o volante Eguren, que está com a seleção uruguaia, e o atacante Leandro, que disputa o Torneio de Toulon, na França, com a seleção brasileira sub 21.


* Com Gazeta Esportiva.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.