Tamanho do texto

Treinador pretende adotar o tradicional sistema tático daqui em diante para dar um padrão de jogo ao time no Brasileiro

A tentativa de ajustar o Corinthians no 4-2-3-1, que durou 45 minutos da partida contra o Atlético-PR , foi a última variação observada por Mano Menezes. De acordo com o treinador, que sacou o meia Renato Augusto para a entrada do atacante Romarinho, o time será montado no 4-4-2 daqui para a frente.

Confira a classificação atualizada, artilharia e notícias do Brasileirão

"Vou definir um jeito de jogar para a equipe crescer. Podemos render mais. O fato de estar rendendo um pouco abaixo, bastante abaixo em alguns jogos, é porque não estamos conseguindo manter a mesma ideia. É o que quero passar para os jogadores", afirmou o gaúcho.

No primeiro tempo sem gols do jogo de quarta-feira, Mano observou uma "sobreposição de funções" entre Jadson, que estava aberto pela esquerda, e Renato Augusto, centralizado. "Quando dois estão fazendo a mesma coisa, está faltando alguém em algum lugar. E não pode faltar", comentou.

A partir de agora, o Corinthians terá dois meias e dois homens de frente. Se os jogadores poderão mudar, o sistema será mantido. É possível, por exemplo, escalar Petros em partidas em que é importante uma composição com mais marcação e saída para o contra-ataque, como será feito no domingo, contra o Sport. Em jogos com necessidade maior de criação, Renato Augusto será acionado.

"A mudança de nomes pode acontecer e vai acontecer em um campeonato tão longo. Estou me referindo ao modelo de jogar. Posso mudar a característica dos jogadores para as funções, mas vou querer a equipe postada de forma muito clara. Para que o entrosamento cresça e a produção cresça junto", explicou Mano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.