Tamanho do texto

Jogando em casa, equipe paulista levou o gol de empate aos 45 minutos do segundo tempo e o da virada nos acréscimos

A torcida da Portuguesa chegou a acreditar que o time, enfim, conseguiria a sua primeira vitória na Série B , mas faltou fôlego para o time do Canindé assegurar os três pontos. Neste sábado, a Lusa recebeu o América-RN , saiu na frente do marcador, levou o gol de empate aos 45 minutos do segundo tempo e a virada nos acréscimos. Uma vitória inacreditável do Dragão por 2 a 1.

Após um primeiro tempo muito fraco, a Portuguesa conseguiu balançar as redes aos cinco da etapa complementar. Com o domínio do confronto, o time da casa foi premiado pela postura ofensiva quando Caio errou o chute dentro da área, mas ainda assim a bola sobrou para Allan Dias.

Jogadores do América-RN comemoram gol na vitória sobre a Portuguesa, em São Paulo
Marcos Bezerra/Futura Press
Jogadores do América-RN comemoram gol na vitória sobre a Portuguesa, em São Paulo

O América-RN, porém, foi valente. Sem desanimar, o time visitante foi ao ataque no final do segundo tempo e conseguiu o empate aos 45 minutos, com Daniel Costa. O que parecia impossível se consolidou nos acréscimos, quando Rodrigo Pimpão apareceu na pequena área e virou a partida.

Com a derrota deste sábado, a Portuguesa permanece na zona de rebaixamento da série B, com apenas dois pontos conquistados. O América-RN, por sua vez, com o triunfo heroico, chega aos seis pontos. Na próxima rodada, a Lusa terá pela frente o Náutico, nesta terça-feira, na Arena Pernambuco.

O jogo

Na zona de rebaixamento da competição a Portuguesa tinha pela frente um adversário que também não havia convencido até o momento. Sendo assim, o América-RN deixou claro a sua proposta já nos primeiros minutos da partida no Canindé. O time de Natal preferiu se resguardar no campo de defesa para tentar surpreender em lances pontuais.

Ao trabalhar a bola no meio de campo, porém, a Portuguesa não escondia a falta de qualidade de sua equipe. Diante de uma defesa bem postada, faltava criatividade aos homens de frente para chegar ao gol. Se o ataque não produzia, a defesa também não passava segurança. Aos 13 minutos, Marcelinho invadiu a área da Lusa e só não marcou porque Tom fez boa defesa.

O lance, porém, foi a única oportunidade do time de Natal. A partir de então, a Portuguesa passou a dominar a partida, fazendo com que seu adversário posicionasse os onze jogadores no campo de defesa. Aos 26 minutos, Caio fez o pivô dentro da área, rolou para Alan Dias, que demorou para chutar e acabou sendo travado pela marcação do América-RN.

Ainda sem qualidade, a Portuguesa seguia com o domínio absoluto da partida, permanecendo no campo de ataque. A presença ofensiva culminou na chance mais clara do primeiro tempo, aos 33 minutos, que também foi desperdiçada. Laércio recebeu o lançamento no lado esquerdo da área, ganhou de dois zagueiros, teve a chance do chute, mas rolou para Caio. O atacante demorou para finalizar e foi travado. Após o erro na pequena área, a Portuguesa não teve mais chances claras antes do intervalo. O gol, porém, parecia questão de tempo, e saiu com pouco tempo de bola rolando na etapa complementar. Aos cinco, Eduardo fez o cruzamento da esquerda, Caio dominou bem, girou sobre o zagueiro, mas errou o chute. A bola ainda ficou com Allan Dias, que empurrou para as redes.

O lance serviu para mudar a postura do América-RN, que depois de passar 50 minutos se defendendo, passou a ocupar o campo de ataque. Oliveira Canindé prontamente modificou sua equipe. Arthur Maia e Isac deram lugar a Max e Adriano Pardal, deixando o lado ofensivo do Dragão com mais velocidade. Desta forma, aos 15, Marcelinho quase empatou na bola parada.

Após um primeiro momento de embalo do América-RN, a Portuguesa conseguiu equilibrar as ações, permanecendo no campo de ataque, apesar de ter mais cautela na marcação. O time de Natal, mais agressivo pela necessidade do resultado, esteve mais ofensivo, com chances de ampliar, e, após alguns erros de finalização, chegou ao empate aos 45 minutos da segunda etapa.

Quando a torcida rubro-verde pedia o final do jogo no Canindé, Daniel Costa recebeu livre dentro da área, no lado esquerdo, e bateu com categoria. O goleiro Tom até se esticou, mas não conseguiu evitar o empate. O cenário já era desanimador, mas um fator inacreditável aconteceu nos acréscimos.

O goleiro Tom ainda fez bela defesa para evitar o segundo gol do América-RN, mas, na cobrança do escanteio, Rodrigo Pimpão apareceu na pequena área e completou para o fundo das redes. Era a virada do Dragão, confirmando uma vitória inacreditável no Canindé.

FICHA TÉCNICA: Portuguesa 1 x 2 América-RN

Local: Estádio do Canindé, São Paulo (SP) 
Data: 17 de maio de 2014 
Horário: 16h20 (de Brasília)  
Árbitro: Wagner Reway (MT) 
Assistentes: Paulo César Silva Faria (MT) e Marcelo Grando (MT)
Cartões amarelos: Eduardo, Coutinho, Arnaldo, Rudnei (Portuguesa) e Wanderson 
Gols:
PORTUGUESA: Allan Dias, aos cinco minutos do segundo tempo
AMÉRICA-RN: Daniel Costa, aos 45, e Rodrigo Pimpão, aos 48 minutos do segundo tempo

PORTUGUESA: Tom, Arnaldo, Wagner (Gustavo), Luciano Castán e Eduardo; Coutinho, Rudnei, Gabriel Xavier (Rondinelly) e Allan Dias; Laércio (Serginho) e Caio 
Técnico: Galeguinho

AMÉRICA-RN: Fernando Henrique; Marcelinho, Adalberto, Roberto Dias e Wanderson; Jean Cléber, Fabinho, Dener (Daniel Costa) e Arthur Maia (Max); Isac (Adriano Pardal) e Rodrigo Pimpão 
Técnico: Oliveira Canindé

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.