Tamanho do texto

Com goleada no Beira-Rio, time de Abel Braga não deu chances ao adversário e se classificou sem sustos na Copa do Brasil

Rafael Moura, atacante do Internacional
Jefferson Bernardes/VIPCOMM
Rafael Moura, atacante do Internacional

Depois do empate em 1 a 1 na partida de ida, era questão de honra para o Internacional se impor diante do Cuiabá jogando no Beira-Rio. A superioridade foi vista especialmente no segundo tempo, quando a equipe do técnico Abel Braga marcou três gols e definiu a goleada por 4 a 1 que leva o time gaúcho à terceira etapa da Copa do Brasil.

"Em Cuiabá a gente teve muita dificuldade, mas hoje, diante da nossa torcida, não podia ser diferente. Tínhamos que correr, nos movimentarmos, para ajudar a equipe. Melhor ainda marcando um gol e dando assistências para os companheiros", destacou o centroavante Rafael Moura. "Dentro de casa a gente tem que jogar desse jeito, impor um ritmo forte, roubar a bola do adversário e marcar gols", definiu o zagueiro Ernando.

Remanescente da péssima da campanha de 2013, quando o Inter jogou longe do Beira-Rio, o meia Alex frisou a importância que a atmosfera da casa colorada tem sobre os jogadores: "jogar no Beira-Rio faz muito bem para o Inter. Foi bom ter reformado o estádio e mantido essa história, essa mística. Isso acaba nos inspirando a jogar um futebol eficiente, da maneira que vem sendo", apontou o articulador, artilheiro da noite, com dois gols.

Classificado, o Inter aguarda agora o vencedor do confronto entre Ceará e Chapecoense para conhecer seu adversário na próxima fase da Copa do Brasil. Domingo, o Colorado enfrenta o Criciúma, fora de casa, pelo Brasileirão. O jogo desta quarta foi o último do Beira-Rio antes da Copa do Mundo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.