Tamanho do texto

Equipe corre o risco de jogar contra o San Lorenzo com os portões fechados por causa da confusão contra o Nacional

O Grêmio não deverá ser punido com a perda do mando de campo por conta da briga de sua torcida antes da partida contra o Nacional, do Uruguai. O clube gaúcho será julgado por conta dos incidentes da última quinta-feira, e tem até a próxima segunda para apresentar sua defesa. A tendência é que o time receba uma multa pelo ocorrido e enfrente o San Lorenzo, dia 30, pela Libertadores, na Arena, com portões abertos.

Confira a tabela de classificação da Copa Libertadores

O departamento jurídico do Grêmio explicou que o julgamento diminui a chance de uma punição severa ao time, pois não é comum a entidade punir este tipo de incidente com pena de portões fechados. O temor de ter a Arena fechada estava no fato de que o Grêmio está com uma sentença condenatória de perda de um mando desde a queda da grade da geral na partida contra a LDU, em janeiro do ano passado, e qualquer incidente semelhante até março de 2015 seria o suficiente para que a Conmebol aplicasse a pena estipulada. Desta vez, porém, não houve citação àquele caso, o que alivia o jurídico gremista.

Na briga ocorrida na vitória sobre o Nacional, 25 pessoas foram presas. A multa que o Grêmio deve receber pelo incidente deve ir de R$ 100 mil a R$ 400 mil. O jogo de ida contra o San Lorenzo, pelas oitavas de final da Libertadores, será na quarta-feira que vem, em Buenos Aires.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.