Tamanho do texto

Após empate em 1 a 1 na etapa regulamentar, Londrina levou a melhor nas penalidades e ergue taça do Paranaense pela 4ª vez

Maicon Silva, do Londrina, comemora o único gol da equipe na final do Paranaense
Felipe Rosa/Gazeta do Povo/Futura Press
Maicon Silva, do Londrina, comemora o único gol da equipe na final do Paranaense

Pela quarta vez em 100 anos de Campeonato Paranaense, o Londrina levanta a taça, quebrando um jejum de 22 anos. Em uma decisão emocionante, com empate em 1 a 1 no tempo regulamentar e cobranças de pênalti diante do Maringá, no Estádio Willie Davids, o Tubarão bateu os donos da casa, que disputaram pela primeira vez a divisão principal e tinham a melhor campanha da competição. No primeiro encontro, empate no Estádio do Café.

Antes de a bola rolar, uma linda festa na cidade-canção, com arquibancada lotada, fogos e muita expectativa. Do lado de fora, centenas de pessoas tentando entrar, com ingresso na mão, mas sem espaço. Na base da pressão, a Zebra começou empolgando as arquibancadas. Aos dois minutos, Gabriel Barcos fez a jogada individual e, serviu Max, que furou na primeira tentativa, mas na segunda disparou uma bomba no travessão. Aos sete minutos, Léo Maringá cobrou falta, a bola sobrou para Cristiano, que balançou as redes, mas em impedimento.

Só dava o time da casa e, aos 10 minutos, Serginho Paulista arrematou de fora da para e a bola saiu à direita da meta. Aos 12 minutos, Gabriel Barco aproveitou vantagem, invadiu área e fuzilou para grande defesa de Vítor. Depois da cobrança, na confusão a bola ia entrando quando Arthur apareceu para tirar em cima da linha. O goleiro londrinense salvava o Tubarão do jeito que dava. Aos 15 minutos, parou cabeçada a queima-roupa de Cristiano.

Veja fotos das finais dos campeonatos estaduais pelo Brasil:

O LEC apareceu com perigo aos 19 minutos, em toque de cabeça de Dirceu que Ednaldo fez a defesa. Mais Tubarão em contra-ataque rápido, aos 24 minutos, com cruzamento de Arthur para Joel que, de carrinho, finalizou para fora. Até que, aos 26 minutos, Maicon Silva disparou da intermediária, passou por toda defesa e tocou na saída do goleiro para balançar as redes e marcar um golaço para abrir o placar.

A resposta foi rápida. Aos 29 minutos, após levantamento na área, Juninho desviou e Cristiano apareceu por trás da zaga para testar e deixar tudo igual. O jogo era muito disputado, com qualidade técnica e velocidade. Aos 40 minutos, Cristiano foi lançando em velocidade e, frente a frete com o goleiro, bateu para fora.

Para o segundo tempo, as equipes retornaram sem alterações. Aos três minutos, cobrança de escanteio para a Zebra, Cristiano cabeceou firme e Vítor, no reflexo, salvou mais uma. Na reposta, aos oito minutos, cruzamento para Arthur, com liberdade, mas impedido na pequena área. Barcos teve a chance do arremate, aos 11 minutos, e parou em Vítor.

Apesar de muita vontade pelos dois lados, o ritmo diminuiu um pouco. Aos 17 minutos, Diogo chutou de longe e Ednaldo, bem posicionado, segurou firme. Aos 23 minutos, Max deixou a marcação para trás, invadiu a área e chutou por cima da meta. Aos 28 minutos, foi a vez de Baiano apareceu e a defesa alviceleste afastar para escanteio.

Cristiano foi o autor do gol do Maringá
Felipe Rosa/Gazeta do Povo/Futura Press
Cristiano foi o autor do gol do Maringá

A disposição para atacar seguia, mas já com receio de tomar um gol, que àquela altura da partida poderia ser fatal. Aos 36 minutos, Cristiano limpou a zaga e Vítor defendeu, no rebote, Max arrematou e Dirceu se esticou para salvar. Aos 40 minutos, com um chute cruzado da entrada da área, Alexandre Oliveira assustou. Aos 43 minutos, Max foi travado na área e ficou no chão reclamando pênalti, mas o árbitro mandou a bola rolar.

Com empate nos dois jogos da decisão, a partida foi para as penalidades. O primeiro a bater foi o Londrina, com Rone Dias, que parou em Ednaldo. Na sequência, Max converteu. Na segunda cobrança do Tubarão, Paulinho marcou. Pequi, com tranquilidade, fez o segundo da Zebra. Dirceu, com força, fez o dele. Fábio Martins parou em Vítor. Silvio fuzilou e fez o terceiro para o Alviceleste. Léo Maringá manteve os donos da casa na briga. Arthur, no meio do gol, fez o quarto. Cristiano jogou para fora a chance da Zebra.

REBAIXAMENTO ESTÁ DEFINIDO

O Quadrangular da Morte definiu também o último rebaixado. O Toledo Colônia Work se junta ao Cianorte e em 2015 disputará a Série Prata. O Leão do Norte, que já havia caído antecipadamente, se despediu com derrota diante do Arapongas, por 2 a 0, no Estádio Albino Turbay . O Toledo, por sua vez, caiu diante do Operário, no Estádio Germano Kruger, por 2 a 0.

FICHA TÉCNICA: MARINGÁ 1 (3) x (4) 1 LONDRINA

Local: Estádio Willie Davids, em Maringá (PR)
Data: 13 de abril de 2014, domingo 
Horário: 16 horas (de Brasília) 
Árbitro: Fábio Filipus 
Assistentes: Adair Carlos Mondini e Sidmar dos Santos Meurer 
Cartões amarelos: Baiano, Cristiano e Léo Maringá (Maringá); Vítor, Bidía, Dirceu, Joel e Arthur (Londrina)

GOLS:
MARINGÁ: Cristiano, aos 29 minutos do primeiro tempo 
LONDRINA: Maicon Silva, aos 26 minutos do primeiro tempo

MARINGÁ: Ednaldo; Reginaldo, Juninho, Fabiano e Baiano (Pequi); Zé Leandro (Fábio Gomes), Serginho Paulista, Léo Maringá e Max; Cristiano e Gabriel Barcos (Fábio Martins)
Técnico: Claudemir Sturion

LONDRINA: Vitor; Maicon Silca, Dirceu, Gilvan e Paulinho; Diogo Roque (Silvio), Bidia, Celsinho (Lucas Gomes) e Rone Dias; Arthur e Joel (Alexandre Oliveira) 
Técnico: Claudio Tencati

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.