Tamanho do texto

Para o lateral, o time poderá abusar das bolas lançadas para Jô e Tardelli contra o Santa Fé, em Bogotá, pela Libertadores

Marcos Rocha, lateral do Atlético-MG
Yuri Edmundo/Gazeta Press
Marcos Rocha, lateral do Atlético-MG

O Atlético-MG deverá ter uma mudança de ordem tática importante para o jogo desta quinta-feira, contra os colombianos do Santa Fé, em Bogotá. Com a lesão de Fernandinho, Paulo Autuori tende a escalar Ronaldinho e Guilherme juntos, o que aumenta o poder de criação do meio-campo, mas reduz a velocidade do ataque.

O lateral-direito Marcos Rocha entende que com a alteração a equipe ganha inteligência com a qualidade de atletas como Ronaldinho e Guilherme. O jogador, porém, admite que o Atlético-MG perde um pouco nas jogadas rápidas. Para o lateral, o time poderá abusar das bolas lançadas para Jô e Tardelli.

"A gente perde um pouco na velocidade, mas ganha na inteligência, em uma jogada genial. Podemos explorar bastante essa bola enfiada para o Jô, o Tardelli ou até mesmo a gente que chega mais de trás", explica o lateral, que garante que o Atlético-MG vai tentar a vitória mesmo jogando fora de casa.

"Temos que pensar em vencer, não vamos lá para buscar um empate, vamos jogar, mas com consciência. Eles virão para cima, serão 20 minutos de pressão e temos que ter cuidado para não sofrermos um gol. Estamos focados nesta partida de quinta e vamos conseguir a classificação", afirmou.

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.