Tamanho do texto

Marcos Chedid não aceitou o valor dos bilhetes do tobogã que era de R$ 30, e Palmeiras terá de pagar diferença ao clube do interior. Valor fixado da entrada para o setor foi de R$ 40

Os valores dos ingressos para a partida entre Palmeiras e Bragantino, na quinta-feira, pelas quartas de final do Campeonato Paulista, foi ponto de divergência entre o presidentes Paulo Nobre e Marcos Chedid durante reunião na sede da FPF (Federação Paulista de Futebol). O cartola do clube do interior não aceitou o valor comercializado pelo mandante, que agora terá de reembolsar o time de Bragança Paulista.

A divergência tornou-se pública após a diretoria do Palmeiras emitir uma nota oficial em seu site para esclarecer a polêmica. Segundo o comunicado, o valor do tobogã, antes R$ 30, foi o que deu início à discussão, que só terminou com uma intervenção da FPF ao considerar R$ 40 o valor justo para as entradas. Chedid pedia o preço de R$ 60, enquanto Nobre defendia manter o mesmo número.

"O Palmeiras concede uma espécie de concessão aos sócios Avanti e, como a renda é dividida, eu não aceito isso. O Palmeiras vai ter de pagar essa diferença e apresentá-la no boderô", afirmou Chedid ao iG Esporte .

De acordo com o regulamento da competição, a partir da fase das quartas de final arrecadação das partidas são dividas em 50% para os clubes. A divisão do estádio, entretanto, continua o mesmo critério adotado anteriormente o qual o visitante tem direito a apenas a 5% da carga total de bilhetes. Sendo assim, a torcida do Bragantino ficará na arquibancada lilás do Pacaembu.

Confira abaixo na íntegra a nota oficial emitida pelo Palmeiras:

"A Sociedade Esportiva Palmeiras vem a público prestar esclarecimentos quanto ao preço dos ingressos do Tobogã para o jogo contra o Bragantino, na próxima quinta-feira, 27.

1) O Palmeiras havia definido o valor de R$ 30,00 para o setor desde a última quinta (20) no intuito de garantir maior tempo de comercialização para o torcedor Avanti;

2) Durante o conselho técnico desta segunda (24) decidiu-se que, por se tratar de um jogo único, o visitante também teria direito de participar da precificação da partida das quartas de final;

3) O Bragantino solicitou que o valor do Tobogã fosse de R$ 60,00, enquanto o Palmeiras manteve a pedida inicial. Após intervenção da Federação Paulista, definiu-se pelo preço de R$ 40,00;

4) Como a SEP já havia fixado o valor de R$ 30,00 na pré-venda, a diretoria decidiu manter o preço, subsidiar seu torcedor e pagar a diferença ao adversário;

5) Os outros valores anunciados na última quinta (20) estão mantidos".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.