Tamanho do texto

Lúcio e Rivaldo nunca foram colegas de clube, mas atuaram com frequência juntos pela seleção entre 2000 e 2003

Rivaldo publicou a carta de despedidas e fotos ao lado do elenco do Mogi nas redes sociais
Reprodução/Instagram
Rivaldo publicou a carta de despedidas e fotos ao lado do elenco do Mogi nas redes sociais

O anúncio da aposentadoria de Rivaldo fez Lúcio lembrar com ainda mais carinho do que ocorreu há quase 12 anos. Titular da seleção brasileira ao lado do camisa 10 campeão da Copa do Mundo de 2002, o zagueiro do Palmeiras se disse honrado por ter sido colega do jogador eleito o melhor do mundo pela Fifa em 1999.

Deixe seu recado e comente com outros leitores

"Fez sucesso na Europa, foi Bola de Ouro, campeão mundial. É um campeão nos campos e fora. Agradeço a Deus por ter tido o prazer de jogar ao lado dele, fico feliz e honrado por isso. Desejo tudo de bem para ele e sua família", comentou o atleta, que hoje defende a camisa alviverde com a qual Rivaldo mais se destacou no Brasil.

Leia mais: Melhor do mundo em 1999, Rivaldo anuncia aposentadoria aos 41 anos

Lúcio e Rivaldo nunca foram colegas de clube, mas atuaram com frequência juntos pela seleção brasileira entre 2000 e 2003. O ápice dos dois lado a lado com a camisa verde e amarela foi no Mundial no Japão e na Coreia do Sul, que nunca foi esquecido pelo defensor.

"O futebol brasileiro e a seleção ganharam muito com a participação dele. Na Copa do Mundo de 2002, ajudou bastante, fez gols contra a Inglaterra e a Turquia, fez um excelente Mundial. Como jogador, era um espetáculo. Foi fundamental no título mundial. Sem dúvida, vai ficar na história", apostou Lúcio.

O camisa 33 do Verdão fez questão de elogiar o agora ex-jogador também por sua postura dentro de campo. "Não só como jogador, mas como homem e pessoa o Rivaldo tem um caráter invejável. Pude conviver alguns momentos com ele fora das concentrações", lembrou.

Brunoro também aplaude Rivaldo

Dirigente da co-gestão Palmeiras/Parmalat nos anos 1990, José Carlos Brunoro, hoje diretor executivo do Verdão, foi decisivo ao tirar Rivaldo do Corinthians e levá-lo ao Palestra Itália em 1994. Com o meia, o clube conquistou o Brasileiro de 1994 e o Paulista de 1996.

"Tenho um carinho superespecial pelo Rivaldo, participei da contratação dele no Palmeiras. É um jogador que se fez pelo futebol, sempre foi um cara que teve como marketing o futebol. É uma pessoa humilde, bacana. Encerra o ciclo de um dos melhores do mundo, de contribuição enorme ao Palmeiras, ao futebol brasileiro e ao futebol mundial", declarou Brunoro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.