Tamanho do texto

Com três gols do atacante, time mineiro vence por 5 a 1 e aparece na ponta da chave nos critérios de desempate

Ricardo Goulart (à direita) comemora gol diante da Universidad de Chile
Eugenio Savio/AP
Ricardo Goulart (à direita) comemora gol diante da Universidad de Chile

Nem mesmo o horário inusitado e a greve de ônibus em Belo Horizonte impediram a torcida do Cruzeiro de apoiar a equipe contra o Universidad de Chile nesta terça-feira, no Mineirão. O público que superou as dificuldades para chegar ao estádio viu o atropelamento em cima dos chilenos por 5 a 1, vitória que embola a classificação do grupo 5 da Libertadores e coloca a equipe mineira na liderança, com vantagem nos critérios de desempate.

Melhor na partida durante todo o tempo, o Cruzeiro não teve a vitória ameaçada em nenhum momento. Os gols do jogo foram anotados por Ricardo Goulart, três vezes, Dagoberto e Willian. Lorenzetti descontou para os chilenos.

Com isso, o Cruzeiro, que era lanterna do Grupo 5 após a estreia, assume a liderança com o triunfo. As quatro equipes da chave ficaram com três pontos na tabela, com os mineiros estão melhores nos critérios de desempate.

Na sequência da Libertadores, o Cruzeiro vai enfrentar os uruguaios do Defensor, partida marcada para o dia 11 de março, mas a antes a Raposa terá compromisso pelo Mineiro, duelando contra o Minas Boca, no sábado de Carnaval, no Mineirão. Já a La U vai visitar os peruanos do Garcilaso em 12 de março.

O jogo

Jogando em casa, o Cruzeiro iniciou a partida a todo o vapor, pressionando os chilenos em busca do gol. Acuado no campo defensivo, a La U se limitou a marcar a Raposa nos primeiros minutos, sem ameaçar o goleiro Fábio, que apenas assistiu ao jogo. Percebendo o empenho da equipe, a torcida passou a atuar com o time mineiro, empurrando os atletas em busca da abertura do placar.

Dominando inteiramente as ações, o Cruzeiro só diminuiu um pouco o ritmo após os 15 minutos, mesmo assim, os donos da casa seguiram com maior posse de bola, aguardando o momento certo para concluir contra a meta do goleiro Herrera. Mesmo agredindo bastante, o gol celeste demorou a sair, o que obrigou Marcelo Oliveira a mudar a estratégia.

Marcelo Moreno disputa a bola com Roja, da Universidad de Chile
Washington Alves/Reuters
Marcelo Moreno disputa a bola com Roja, da Universidad de Chile

O Cruzeiro passou a trocar passes no campo defensivo, forçando a Universidad de Chile a adiantar a marcação, abrindo espaços para o contra-ataque da Raposa, explorando a velocidade de Dagoberto, Everton Ribeiro, Ricardo Goulart e Egídio. Aos 21, em uma boa arrancada, o avante Marcelo Moreno ficou em condições de finalizar, mas Herrera fez a defesa.

Aos poucos o nervosismo ia tomando conta dos jogadores do Cruzeiro, mas aos 33, brilhou a estrela do atacante Dagoberto, que deu assistência precisa para Ricardo Goulart, que apareceu como um raio na área da La U para abrir os trabalhos no Gigante da Pampulha. O gol tranquilizou os celestes e acordou os torcedores nas cadeiras do Mineirão.

Com as rédeas do jogo, o segundo gol não demorou. Aos 38, Ricardo Goulart retribuiu assistência, dando passe preciso para Dagoberto marcar de peito, ampliando o marcador e explodindo o Mineirão em alegria. A inversão de jogadas e de posições da Raposa confundiu a La U, que sofreu o terceiro gol ainda no primeiro tempo. Aos 41, Bruno Rodrigo desviou cobrança de escanteio e Ricardo Goulart completou para as redes.

Mesmo com o jogo já resolvido, o Cruzeiro continuou atuando com intensidade no segundo tempo, criando as melhores chances para transformar o resultado em goleada. O time mineiro dificultou a saída de bola dos chilenos, forçando o erro adversário e impedindo qualquer possibilidade de reação dos visitantes.

Aos 18, Dagoberto arriscou tiro cruzado da entrada da área, mas errou o alvo, acertando a rede pelo lado de fora. A resposta chilena veio dois minutos depois com Lorenzetti, que recebeu passe de Cereceda, que rasgou a zaga mineira e tocou na saída de Fábio, diminuindo o placar. O gol da La U irritou Marcelo Oliveira, que passou a exigir o mesmo empenho do início da partida.

Atendendo ao treinador, o Cruzeiro voltou a controlar o jogo, com a Universidad de Chile ameaçando apenas em lances esporádicos. Aos 39, após cobrança de escanteio, Ricardo Goulart pegou rebote da defesa visitante e com total liberdade fuzilou Herrera para transformar o placar em goleada. Aos 45, ainda teve tempo para Willian fechar o marcador com o quinto gol.

FICHA TÉCNICA -  CRUZEIRO 5 X 1 UNIVERSIDAD DE CHILE
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 25 de fevereiro de 2014, terça-feira
Horário: 17h30 (de Brasília)
Árbitro: Saul Laverni (ARG)
Assistentes: Diego Bonfa e Ezequiel Brailovsky (ambos da Argentina)

Gols:
Cruzeiro: Ricardo Goulart, aos 33 e 41 e Dagoberto, aos 38 minutos do primeiro tempo; Ricardo Goulart, aos 39 e Willian, aos 45 minutos do segundo tempo
Universidad de Chile: Lorenzetti, aos 20 minutos do segundo tempo

CRUZEIRO: Fábio; Ceará, Bruno Rodrigo, Dedé e Egídio; Lucas Silvas, Rodrigo Souza, Ricardo Goulart e Everton Ribeiro (Souza); Dagoberto (Dagoberto) e Marcelo Moreno (Willian)
Técnico: Marcelo Oliveira

UNIVERSIDAD DE CHILE: Herrera, González, Caruzzo, Rojas (Lichnovsky) e Castro; Cereceda, Juan Rojas, Martínez e Lorenzetti; Gutiérrez (Mora) e Rubio (Fernández)
Técnico: Cristian Romero

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.