Tamanho do texto

Lucas, Renato e Bolatti atuaram contra o Fluminense e deram mais consistência ao time de garotos

Para o técnico do Botafogo, Eduardo Hungaro, a utilização de jogadores mais experientes ao lado de outros mais jovens foi fator chave para o ótimo desempenho de seus reservas. Neste domingo, pelo Carioca, o time venceu o Fluminense por 3 a 0 e voltou a brigar por uma vaga na semifinal da Taça Guanabara.

"No clássico contra o Vasco, a maioria eram jovens. Contra o Fluminense, não eram a maioria. Quando se cria uma estrutura mais madura, jogadores mais novos, como o Gegê e o Daniel, se saem melhor. Entraram o Lucas, o Renato, o Bolatti e todos eles acrescentam, dão segurança aos meninos. É uma receita antiga no futebol", comentou o treinador botafoguense.

Botafogo atropelou o Fluminense no clássico de domingo
Ricardo Ayres/Photocamera
Botafogo atropelou o Fluminense no clássico de domingo

Individualmente, o técnico rasgou elogios à atuação do jovem Henrique, que anotou dois gols e foi o grande nome do clássico. Antes questionado, o atacante sempre teve a confiança de Hungaro, segundo o próprio comandante.

"Independentemente dos gols, foi a melhor atuação dele. Eu sempre disse que este menino tem currículo. Foi formado em um grande clube, tratado como joia e eleito o melhor no Mundial Sub-20. Venho da base e conheço ele. Não tenho nenhum mérito, é todo dele", disse.

Hungaro também afirmou que o resultado recolocou o Botafogo na disputa pelo Campeonato Carioca, após um mau início na competição. O Glorioso está no sexto lugar, com 15 pontos e a três de distância do Vasco, último do G-4.

"Voltamos no Campeonato. Foi um resultado importante contra o líder, que estava em grande fase. Estamos felizes com o resultado, mas temos de colocar os pés no chão. Se não vencermos, sabemos que as críticas voltarão", disse o técnico.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.