Tamanho do texto

Árbitro André Luís Castro foi alvo de críticas do técnico do Goiás, que acabou expulso no empate diante do Aparecidense

Claudinei Oliveira, técnico do Goiás
Site oficial
Claudinei Oliveira, técnico do Goiás

O empate entre Goiás e Aparecidense, neste domingo, em Aparecida de Goiânia (GO), foi deixado de lado pelo técnico Claudinei Oliveira, que não escondeu sua insatisfação com a arbitragem de André Luís Castro - no final do primeiro tempo, o treinador foi reclamar e acabou sendo expulso.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

Após o 1 a 1, o comandante esmeraldino explicou o que aconteceu no meio-campo. "Já falei com outros árbitros, mas, infelizmente, ninguém pode conversar com o André. Ele tem autoridade pra ficar acima do bem e do mal. Falamos até com Deus, mas não com ele", ironizou.

Pedindo "hombridade" ao árbitro, Claudinei Oliveira também criticou outras decisões. "Vou chegar em casa e rever o jogo, mas acho que houve uns quatro ou cinco pênaltis", disse o técnico, que assistiu ao segundo tempo das arquibancadas do estádio Aníbal Batista de Toledo.

Sobre a atuação dos seus comandados, ele também se mostrou frustrado. "Faltou o último toque, a finalização. A gente criou, tivemos chances, mas nos precipitamos algumas vezes. Mas também foi mérito da Aparecidense", encerrou o treinador.

Mesmo com o tropeço, o Goiás se manteve isolado na liderança do Grupo A do Estadual, com 26 pontos, oito a mais do que o rival Atlético-GO, segundo colocado. O próximo adversário é o Anápolis, nesta quarta-feira, às 22 horas (de Brasília), na Serrinha, pela 11ª rodada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.