Tamanho do texto

Ex-presidente do Barcelona Sandro Rosell também será julgado e pode ser punido com multa ou até mesmo prisão

O Barcelona está mais perto de ser condenado por irregularidades na transferência de Neymar, que aconteceu em 2013. Nesta quarta-feira, a Procuradoria da Audiência Nacional, que investigava o caso, denunciou ao tribunal a sonegação de 9,1 milhões de euros (aproximadamente R$ 30 milhões) em impostos.

Neymar assina o contrato ao lado do ex-presidente do Barcelona, Sandro Rosell
Miguel Ruiz/Barcelona
Neymar assina o contrato ao lado do ex-presidente do Barcelona, Sandro Rosell

O fiscal José Perals formalizou a denúncia ao juiz Pablo Ruz, que analisa acusações contra o ex-presidente do clube, Sandro Rosell, e pediu a condenação do Barcelona. Caso Ruz acate o pedido, a equipe catalã terá de pagar multa ao fisco espanhol. Se comprovado o envolvimento do ex-cartola na operação, Rosell será julgado individualmente e pode ser punido com multa ou até mesmo prisão.

Com pedido negado, Santos entra com recurso contra pai de Neymar

"Os indícios apontam fraude fiscal, com a existência de contratos, bem como a condução de operações de engenharia financeira, pela qual se pretende enganar a receita pública", disse o procurador em carta entregue ao tribunal, segundo publica o diário As .

De acordo com as investigações da Procuradoria, 10 milhões de euros (R$ 33 milhões) em 2011, pagos a Neymar e seu pai por "exclusividade" no direito de compra futuro, além de 27,9 milhões de euros em 2013, pagos pela transferência em definitivo, não foram tributadas e resultam no montante estimado em R$ 30 milhões (R$ 92,33 milhões) de impostos.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.