Tamanho do texto

Treinador condena primeiro tempo da equipe e aprova mudança de postura na etapa final do triunfo por 1 a 0

A Ponte Preta derrotou o Comercial por 1 a 0, fora de casa, na noite da última quarta-feira, e conseguiu a segunda vitória seguida no Campeonato Paulista. Mesmo feliz com o bom momento, o técnico da equipe, Vadão, afirmou que a Macaca está longe do ideal e precisa apresentar um futebol melhor do que o visto na partida em Ribeirão Preto.

"Nosso primeiro tempo foi irreconhecível, não marcamos. Nossa marcação estava errada e isso obrigou nossos atacantes, Silvinho e Ademir, a atuarem praticamente como laterais. Estávamos sonolentos e desatentos", analisou. Em alguns momentos do jogo, César e Diego Sacoman tinham a posse da bola, mas não viam companheiros se apresentando para receber, fato que irritou Vadão. "Eles são obrigados a chutar, aí não saímos com a bola no chão".

Leia mais: Ponte Preta segura o Comercial e soma segunda vitória seguida

No entanto, os 45 minutos finais foram melhores para a equipe campineira. "Fiquei satisfeito pela mudança de postura. Mas é preciso ir além e não podemos nos dar ao luxo de jogar apenas metade dos compromissos bem", ressaltou, já preocupado com o confronto do próximo domingo, às 17h (de Brasília), diante do São Paulo, no Majestoso.Para seguir com a tão almejada sequência de vitórias, Vadão sabe que não é apenas as questões táticas e técnicas que fazem a diferença. "O emocional comanda tudo. Você pode ter o melhor time do mundo, mas o equilíbrio, a personalidade e o espírito de equipe fazem a diferença. Vamos bater nessa tecla", afirmou.

Questionado sobre os melhores em campo, o comandante aproveitou para elogiar o jovem Junio. "Me chamou muita a atenção. Entrou com desenvoltura e personalidade. Ele foi um dos pontos positivos, fico feliz por ganhar um atleta da base nesse momento", finalizou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.