Tamanho do texto

Atacante, recuperado de uma pancada na bacia, quer uma vaga entre os titulares e relembra grandes times da história quase centenária do clube

O histórico do lesões que o atrapalhou na carreira hoje é encarado como motivação. Esse é o pensamento que o Diogo tem para mirar uma sequência positiva no Palmeiras. Contratado no início de janeiro, o atacante sofreu uma pancada na região da bacia e agora, recuperado, espera colocar uma dúvida na cabeça do técnico Gilson Kleina para arrancar uma vaga entre os titulares.

Diego demonstra vontade durante o treino do Palmeiras
Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação
Diego demonstra vontade durante o treino do Palmeiras

Suplente no clássico contra o São Paulo, no último domingo, Diogo espera uma chance no duelo desta quarta-feira, diante no XV de Piracicaba, no estádio Barão de Serra Negra. Motivado, ele já fala em título para presentear a torcida palmeirense no ano de seu centenário.

"O Palmeiras está formando uma equipe forte, e quando participa de qualquer competição não quer outra coisa a não ser títulos. Nós vamos lutar bastante para conseguir um", garantiu o atleta em entrevista ao iG Esporte .

Diogo também destacou pertencer a uma família palmeirense e se inspira no time que conquistou o Campeonato Paulista de 1993, após quase 17 anos de jejum, com Edmundo, Zinho e Evair. "É legal poder jogar no Palmeiras, porque meu avô e o meu tio são palmeirenses. Embora eu tenha começado a minha carreira na Portuguesa e por ela ter um carinho, eu assistia os jogos do Palmeiras quando criança. Eu lembro muito de 93 e 94 e, claro, do super time da Copa Libertadores de 1999", recordou.

Além de um bom Campeonato Brasileiro no ano passado pela Portuguesa, Diogo viveu o seu melhor momento na carreira quando defendeu o Olympiacos, da Grécia. Depois de ter sido vendido em 2008 por 9 milhões de euros, o atacante virou ídolo da equipe e conquistou três títulos do Campeonato Grego e dois da Copa da Grécia. Ele também chegou a disputar pela equipe duas edições da Liga dos Campeões da Uefa e uma da Liga Europa.

Diogo está recuperado de uma pancada na região da bacia
Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação
Diogo está recuperado de uma pancada na região da bacia

"Aquele foi um momento muito especial na minha vida. Eu saí muito jovem da Portuguesa e vivi anos muito marcantes na Grécia. O Olympiacos é uma equipe que gosto bastante, e sempre acompanho. Apesar da diferença com o Brasil, eu tive uma adaptação muito rápida e todos me acolheram muito bem por lá", disse.

Por outro lado, nem todas as lembranças são boas para o atacante. Na segunda metade de 2010, quando transferiu-se para o Flamengo, ele sofreu com diversas lesões musculares e não conseguiu emplacar. Foram 18 partidas, apenas um gol e o "pior momento da carreira".

"No Flamengo eu vi o quanto a torcida é fanática por um clube. Infelizmente, eu cheguei em um momento difícil, de muitos conflitos políticos que atrapalhavam o ambiente do clube, e me machuquei muito. Foi o pior momento da minha carreira, mas serviu de experiência e hoje não tenho nada contra o Flamengo", encerrou. 

Com 100% de aproveitamento no Paulistão e a liderança do Grupo D, com 15 pontos, o Palmeiras defende a invencibilidade nesta quarta, contra o XV de Piracicaba, às 22h (de Brasília), no interior de São Paulo. Diogo estará à disposição. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.