Tamanho do texto

"Isso é uma palhaçada. O Rogério tem 41 anos, é experiente. Para que faria isso?", avisou o uruguaio

O polêmico lance entre o meio-campista Jorge Valdivia e o goleiro Rogério Ceni na vitória do Palmeiras por 2 a 0 sobre o São Paulo, no último domingo, no Pacaembu, segue repercutindo nos bastidores das equipes. Titular no clássico e presente em algumas discussões durante o confronto, o lateral esquerdo Álvaro Pereira defendeu o camisa 01 e criticou veementemente a possibilidade de Rogério Ceni ser punido pela tentativa de chutar o atleta chileno.

Alvaro Pereira em treino do São Paulo
Miguel Schincariol/saopaulofc.net
Alvaro Pereira em treino do São Paulo

"Isso é uma palhaçada. O Rogério tem 41 anos, é experiente. Para que faria isso? Ele ficou de cabeça quente por sofrermos um gol, assim como eu, mas não quis magoar o Valdivia ou qualquer outro adversário. Não é necessário criar polêmica ao redor disso, as coisas precisam permanecer apenas no campo", afirmou o jogador uruguaio.

O procurador geral do TJD-SP (Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo), Antônio Carlos Meccia, não descartou denunciar Rogério Ceni pelo ato. Após marcar o gol que abriu o placar no Pacaembu, ainda no primeiro tempo, Valdivia passou correndo muito próximo ao goleiro, que tentou chutá-lo.

"Não gosto de falar especificamente de um jogador de outro time. Já joguei muitas vezes contra ele pela seleção uruguaia. É um atleta que tem suas características e que não podemos entrar em seu jogo. É necessário ser inteligente nessas situações. Todas essas coisas devem ficar dentro de campo", encerrou Álvaro Pereira.

Caso seja denunciado, o camisa 1 deve ser enquadrado no Artigo 250 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que prevê punição de uma a três partidas ao atleta que praticar ato desleal ou hostil durante o jogo. Se os lances forem caracterizados como agressão, o goleiro pode pegar suspensão entre quatro e 12 confrontos.

Uruguaio pede "coração" ao time

Nesta terça-feira, antes de atividade no Centro de Treinamento da Barra Funda, o técnico Muricy Ramalho reuniu o elenco tricolor, com portões fechados, para conversar sobre a postura do time e pedir mudanças. Titular desde que chegou ao time paulista, o lateral esquerdo Álvaro Pereira deu razão ao comandante.

"Ninguém gosta de perder, muito menos em um clássico. Claro que o treinador deve corrigir nossos erros, e tivemos muitos. Entretanto, ainda há tempo para acertar isso. Temos que seguir melhorando e crescendo coletivamente. Outros jogadores estão chegando, mas isso não é desculpa. Precisamos sempre entrar em campo como se fosse uma final. O torcedor tem nos apoiado muito, e necessitamos devolver esse carinho", afirmou o atleta.

Ainda em busca da escalação ideal, Muricy contará com dois reforços para sequência desta temporada. O atacante Dorlan Pabón (ex-Valencia) e o volante Souza (ex-Grêmio) já estão contratados, mas ainda buscam acertar os últimos detalhes de documentação e não trabalham ao lado do grupo.

Líder do Grupo A do Campeonato Estadual, com nove pontos, o São Paulo tem chance de reabilitação nesta quinta-feira, às 19h30 (de Brasília), quando mede forças com o Paulista, no Morumbi, em partida válida pela sexta rodada. Álvaro Pereira, inclusive, projeta recuperação imediata da equipe tricolor.

"Defenderei meus companheiros. Podemos errar um passe, assim como acontece com todos, mas jamais deve faltar raça, vontade e suar a camisa. Eu acho que nós temos todos esses ingredientes. Apesar do resultado contra o Palmeiras, temos que levantar a cabeça, seguir em frente e jogar todos os jogos como se fosse um clássico. Precisamos vencer o próximo duelo atuando com o coração", encerrou o lateral esquerdo.

Álvaro defende Ganso e Maicon

Setor bastante criticado na derrota do São Paulo por 2 a 0 diante do Palmeiras, no último domingo, no Pacaembu, o meio-campo do time tricolor mostrou muita lentidão e não conseguiu oferecer perigo ao sistema defensivo alviverde. Mesmo com o mau rendimento dos atletas responsáveis pela armação, o lateral esquerdo Álvaro Pereira elogiou Paulo Henrique Ganso e Maicon e isentou a dupla da culpa pela pouca velocidade.

"Não acredito que sejam jogadores lentos. São muito inteligentes, sabem tratar bem a bola e jogam bem. São atletas importantes taticamente, pois conseguem antecipar o lance antes de ter a bola nos pés. Tivemos posse contra o Palmeiras no início, mas não fomos contundentes e acabamos sofrendo um gol de bola parada", afirmou o uruguaio, lembrando o gol de cabeça marcado por Valdivia depois de cobrança de falta de Mazinho.

Para solucionar o problema de velocidade no meio-campo, uma das alternativas é deslocar o próprio Álvaro Pereira da lateral. O uruguaio já atuou mais adiantado em partidas pela seleção de seu país, pela Internazionale (Itália) e também pelo Porto (Portugal). O atleta, inclusive, não descartou a possibilidade já para sequência do Campeonato Paulista.

"Estou a vontade aqui no clube. Atuarei onde for escalado por nosso treinador, seja na lateral esquerda ou no meio-campo. O importante é que precisamos trabalhar diariamente e dar uma resposta o mais rápido possível", encerrou.

O São Paulo volta a entrar em campo pelo Campeonato Estadual nesta quinta-feira, às 19h30 (de Brasília), quando mede forças com o Paulista, no Morumbi, em partida válida pela sexta rodada. Apesar de sucumbir no clássico do último domingo, o clube tricolor segue na liderança do Grupo A, com nove pontos, e está garantindo vaga nas quartas de final do torneio regional.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.