Tamanho do texto

Durante ataque, manifestantes teriam pedido a renúncia de Odílio Rodrigues da presidência do clube

A Polícia Civil de Santos investigará as ameaças cometidas contra os dirigentes santistas na noite da última quarta-feira, após o clássico que acabou com goleada por 5 a 1 o Corinthians. A informação foi veiculada pela Assessoria de Imprensa do Santos, através do site do clube.

Segundo a assessoria de imprensa do clube, os membros do Comitê de Gestão do Santos foram pessoalmente recebidos pelo Delegado Seccional da cidade, Dr, Aldo Galeano. Os dirigentes requereram a instauração de inquérito policial, com o objetivo de apurar crimes de incitação à violência, ameaça, delitos contra honra, entre outros.

Nesta sexta-feira foi instaurado o procedimento investigativo por determinação do Delegado, para, futuramente, instruir ações criminais e indenizatórias cabíveis contra os responsáveis. O Comitê de Gestão do Santos entregou à Polícia todo o material usado nos ataques, que foi encontrado por uma empresa especializada em investigar crimes digitais, contratada pelo Santos.

Caso

As agressões teriam ocorrido quando o presidente Odílio Rodrigues, seus familiares e alguns membros do Comitê Gestor saíam do Estádio da Vila Belmiro rumo ao CT Rei Pelé, em uma van. O carro foi cercado pelos santistas, que balançaram o veículo e tentaram quebrar os vidros, arremessando objetos pesados. Seguranças do clube que estavam no local tiveram que intervir, evitando danos maiores.

Durante o ataque os manifestantes teriam pedido a renúncia de Odílio Rodrigues da presidência do Santos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.