Tamanho do texto

Técnico destacou desempenho do time no começo do jogo e falou da dificuldade de atuar na altitude de Quito

Eduardo Hungaru, técnico do Botafogo, comanda time na estreia na Libertadores
Dolores Ochoa/AP
Eduardo Hungaru, técnico do Botafogo, comanda time na estreia na Libertadores

O torcedor do Botafogo estava ansioso pelo retorno de sua equipe á Libertadores, mas a primeira impressão não foi boa. Na altitude do Equador, o time não jogou bem e acabou derrotado pelo Deportivo de Quito por 1 a 0 . O treinador Eduardo Hungaro, no entanto, não viu o resultado de forma tão negativa e procurou se conformar com o revés na estreia.

O que achou da estreia do Botafogo na Libertadores? Comente com outros leitores

"Eu esperava resultado melhor, mas não foi ruim. Todo mundo tem dificuldade em Quito. Nos primeiros 20 minutos, não fomos bem e o gol aconteceu. Depois fomos melhorando, mas faltou criar mais. Os jogadores sentiram muito a altitude nos passes e finalização, mas suportamos bem a parte física", avaliou Eduardo Hungaro.

Leia mais:  Botafogo perde para Deportivo Quito em seu retorno à Libertadores

Assim como destacou o treinador do Botafogo, o time carioca não demonstrou um desgaste muito grande na pare física, mas teve muitas dificuldades para trabalhar a bola no campo de ataque. O goleiro Jefferson, após o apito final, também falou sobre o desempenho de seus companheiros.

Lance da partida Deportivo Quito x Botafogo na Libertadores
Dolores Ochoa/AP
Lance da partida Deportivo Quito x Botafogo na Libertadores


"Viemos pensando muito na altitude, claro que isso faz diferença, mas a gente acabou saindo das nossas características, que é colocar a bola no chão. O Duda avisou que a última opção era a bola área no Ferreyra, e a gente já começou o jogo assim", destacou o goleiro do Glorioso, que fez uma boa partida no Equador.

"Tem time para reverter"

Agora, em seu retorno à Libertadores após 18 anos, o Botafogo tem uma difícil missão. Diante de sua torcida, em um Maracanã certamente cheio, o time carioca não pode levar gols, precisa fazer pelo menos um para decidir nos pênaltis, ou dois para garantir a vaga direta à fase de grupos do torneio continental.

"Teremos que fazer e não levar, mas a gente tem time para reverter lá no Rio", afirmou Jefferson. Lodeiro, que teve muitas dificuldades no campo de ataque e pouco produziu em Quito, concorda com o goleiro. "Temos grande possibilidade de reverter a situação no Brasil. Temos que colocar a bola no chão, trabalhar mais no campo de ataque. Teremos tempo para trabalhar e tudo vai dar certo", avaliou.

O reencontro com o Deportivo Quito será na próxima quarta-feira, às 22h (horário de Brasília). Antes do primeiro jogo em Quito, 14 mil ingressos já haviam sido comprados pela torcida alvinegra para o segundo duelo.

*com Gazeta Esportiva

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.