Tamanho do texto

Com 8 títulos, Peñarol e Nacional são as maiores ameaças, mas não erguem a taça desde a década de 1980. Vélez é único argentino campeão que jogará a edição 2014

A Libertadores começa para o futebol brasileiro nesta quarta-feira, quando Atlético-PR e Botafogo estreiam em busca de vaga na fase de grupos. Inexperiência pode parecer um problema para as duas equipes, que jamais foram campeãs continentais. Porém, atleticanos, botafoguenses e os outros quatro times do Brasil, Cruzeiro , Flamengo , Grêmio e Atlético-MG , têm um trunfo: a falta de tradição dos adversários.

E mais: Dez anos após título surpreendente, Once Caldas vê Libertadores de longe

Atlético-MG defende o título conquistado no ano anterior
Yuri Edmundo/Gazeta Press
Atlético-MG defende o título conquistado no ano anterior

Somados os títulos de todos os ‘gringos’ da Libertadores 2014, são apenas dez taças, menor número desde 1999. E oito dessas taças estão concentradas nas mãos de dois times, os uruguaios Peñarol (5) e Nacional (3). Tradição não falta aos times de Montevidéu, mas a força de ambos ficou no passado. O Nacional, campeão pela última vez em 1988, jamais voltou à final. O Peñarol, que ganhou o último título em 1987, chegou só a mais uma final posteriormente e caiu frente ao Santos em 2011.

Boca Juniors, de Riquelme, é uma das ausências de peso da Libertadores em 2014
Miguel Schincariol / Divulgação
Boca Juniors, de Riquelme, é uma das ausências de peso da Libertadores em 2014

A Argentina, dona de 22 títulos da Libertadores, não estará bem representada. O único argentino que já conquistou o título e joga o torneio em 2014 é o Vélez Sarsfield. Nada de Independiente (7 títulos) ou Boca Juniors (6), os maiores vencedores da história. O tetracampeão Estudiantes também está fora, bem como o menos vitorioso, porém igualmente tradicional, River Plate (2 títulos). Além do Vélez, estarão na competição Newell’s Old Boys, Arsenal, Lanús e San Lorenzo.

O Atlético Nacional, da Colômbia, completa a lista de campeões representados na Libertadores de 2014. A equipe comanda por René Higuita, campeã em 1989, é uma das duas da Colômbia a erguer a taça. A outra é o surpreendente Once Caldas, campeão ha exatos dez anos. E, levando em conta a escassez de títulos dos times participantes, a Libertadores 2014 é um prato cheio para os candidatos a zebra.

Brasileiros em grande fase

De 2005 para cá, o Brasil esteve representado em todas as finais da Libertadores. A última ausência foi há dez anos, quando o Once Caldas surpreendeu o Boca Juniores na decisão. Essa boa fase foi, inclusive, responsável por uma mudança na regra do torneio. Após duas finais brasileiras seguidas, em 2005 e 2006, a Conmebol voltou a impedir o cruzamento de equipes do mesmo país na decisão.

A manobra da Conmebol não enfraqueceu o futebol brasileiro, campeão em seis das últimas dez edições do torneio. O Brasil é o atual tetracampeão, com Internacional, Santos, Corinthians e Atlético-MG. Corintianos e atleticanos, aliás, jamais haviam sido campeões, o que dá ainda mais esperança a Botafogo e Atlético-PR. Em 2014 há razões de sobra para o torcedor acreditar.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.