Tamanho do texto

"Tenho contrato com o clube e devo dar meu máximo, como dei no final do Campeonato Brasileiro", disse o meia

Cícero fez o gol da vitória do Santos diante do Ituano aos 47' do 2º tempo
Denny Cesare/Futura Press
Cícero fez o gol da vitória do Santos diante do Ituano aos 47' do 2º tempo

Na primeira partida oficial com a camisa do Santos, o meia Cícero salvou a equipe alvinegra de um empate sem gols contra o Ituano. O número oito do Peixe, marcou um com de falta, já nos acréscimos. Na saída de campo, o meio-campista afirmou que pegou mal na bola, e que também pretende ficar no Santos, apesar de toda a especulação ao seu redor.

Com gol nos acréscimos, Santos derrota o Ituano no interior paulista

Depois de um gol de falta ao estilo Ronaldinho Gaúcho (por baixo da barreira), Cicero admitiu que pegou mal na bola: "Acho que o nosso time fez uma boa partida, tomamos pressão, mas tomamos o gol. No lance da falta acabei pegando mal na bola, mas dei sorte e ela acabou entrando".

O camisa oito santista aproveitou para esclarecer sua situação com o Santos. Cícero avisou que independente das pendências não resolvidas, ele deve honrar a camisa do clube e entrar em campo e jogar.

"Não tem nada resolvido. Tenho contrato com o clube e devo dar meu máximo, como dei no final do Campeonato Brasileiro. Independente de qualquer coisa, eu quero ficar, todos sabem da minha vontade", disse.

Pelo lado do Ituano, o atacante Jean Carlos, lamentou o gol sofrido no final e a derrota para o Santos. "Foi um castigo. Desde o primeiro tempo colocamos nosso ritmo de jogo. Nós tivemos três chances claras de gol e acabamos não fazendo. Eles (Santos) aproveitaram a única chance deles e marcaram o gol da vitória. Assim é o futebol", ressaltou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.