Tamanho do texto

"Procuro conversar para aprender bastante", disse o atacante Leandro, que também é evangélico

Com estreia marcada para esta quinta-feira, Lúcio já tem posição de respeito no Palmeiras. Há menos de duas semanas no clube, o zagueiro vive situação inversa à que teve no São Paulo em 2013, já sendo considerado um modelo a ser seguido e com sua religiosidade apontada como trunfo.

Lúcio em treino do Palmeiras
Fernando Dantas/Gazeta Press
Lúcio em treino do Palmeiras

Escolhido para dar entrevista coletiva nesta quarta-feira, Leandro contou que foi parceiro de quarto do veterano na concentração em Itu durante a pré-temporada. Nascido no Distrito Federal e evangélico como o titular da seleção brasileira nas três últimas Copas, não cansou de elogiar o colega.

"Ter um jogador de nível mundial como o Lúcio é um grande exemplo. Procuro conversar para aprender bastante", relatou o atacante, posicionando-se como um fã do camisa 33 já fora de campo. Até por conta de sua religiosidade.

"Tenho pouco tempo com o Lúcio, mas sei que ele é da igreja. É um cara família, bacana, e a igreja influencia nisso", apontou. "Igreja não influencia no vestiário, cada um respeita a religião do outro. Tenho muita fé e Deus me ajudou bastante em tudo que conquistei até agora."

Os elogios feitos por Leandro vão de encontro a problemas recentes de Lúcio. Durante a Copa do Mundo de 2010, o exercício de sua liderança com cultos foi criticado. No São Paulo, o zagueiro passou quase todo o segundo semestre de 2013 treinando afastado e até impedido de treinar nas dependências do clube como sinal de má influência.

No Verdão, Lúcio já relatou que encontrou um ambiente melhor, como constatam seus novos colegas. "O Lúcio está bem tranquilo e confiante. Vai dar tudo certo para ele, vai ajudar muito a nossa equipe", apostou Leandro.

A aposta no zagueiro, que aceitou um contrato de dois anos com salário bem inferior ao que recebia no São Paulo, foi feita pela diretoria e por Gilson Kleina também com a esperança de que ele usasse sua experiência para amenizar a pressão do centenário aos mais jovens. Isso já faz efeito. "É como o Zé Roberto no Grêmio, que é um grande amigo meu. Íamos para a igreja juntos e conversávamos bastante", comparou Leandro.

Em campo, Lúcio começará a ser testado no jogo das 21 horas desta quinta-feira, em Ribeirão Preto. O camisa 33 fará sua estreia já como titular do Palmeiras diante do Comercial, pela segunda rodada do Campeonato Paulista.

Kleina escala 3-5-2 com Lúcio e Wendel entre os titulares

No último treino antes da viagem a Ribeirão Preto para enfrentar o Comercial, Gilson Kleina optou pela estreia de seu reforço mais famoso. Sem Tiago Alves, o técnico optou por Lúcio entre os titulares escalados no 3-5-2, com Wendel na ala direita e Serginho adiantado para substituir o machucado Diogo.

A formação que o Palmeiras deve ter na partida das 21 horas (de Brasília) desta quinta-feira é: Fernando Prass; Lúcio, Henrique e Marcelo Oliveira; Wendel, Renato, Wesley, Mazinho e Juninho; Serginho e Alan Kardec.

A atividade tática começou com os mesmos nomes, mas em outro posicionamento. Kleina tentou repetir o esquema com o qual iniciou o jogo de sábado, contra o Linense, em um 4-3-2-1 com Marcelo Oliveira como volante e a linha de armação com Serginho, Wesley e Mazinho. Mas o esboço durou pouco tempo: o técnico logo espalhou o time no 3-5-2.

O exercício foi realizado sem adversário, com Gilson Kleina paralisando seguidamente para acertar a posição e a troca de passes. Lúcio e Henrique não passaram tanto do meio-campo e Mazinho assumia a condição de armador esperando a bola de Wesley e contando com a movimentação de Alan Kardec e, principalmente, Serginho.

Em relação ao time que iniciou a vitória sobre o Linense, saíram o zagueiro Tiago Alves, que trata de luxação no ombro direito, e o atacante Diogo, que levou cotovelada de Henrique na região abdominal na segunda-feira e não treina desde então. Wendel entrou na lateral direita, adiantando Serginho, e Lúcio é a novidade na zaga.

Valdivia treinou com os jogadores que não participaram da atividade tática, mas segue a programação de só estrear no domingo, na visita ao Atlético Sorocaba. Eguren e Mendieta, recém-recuperados de contusão e que participaram do jogo-treino na terça-feira, devem ser reservas.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.