Tamanho do texto

Odílio Rodrigues ainda conversa sobre transferência do jogador e desconversa sobre antecipar volta de Diego

O Santos ainda respondeu o Shandon Luneng, da China, que fez uma proposta para ter o meia Montillo. À reportagem do iG Esporte , o presidente Odílio Rodrigues disse estar analisando a oferta e desconversou sobre a possível antecipação da chegada de Diego, caso a transferência do argentino seja concretizada.

Deixe o seu recado e comente com os outros leitores

Odílio Rodrigues ao lado do presidente da FPF, Marco Polo Del Nero, durante eleições na entidade
Leandro Martins/Futura Press
Odílio Rodrigues ao lado do presidente da FPF, Marco Polo Del Nero, durante eleições na entidade

“Nós recebemos a proposta por Montillo e estamos avaliando se interessa ou não. É uma proposta que atende aquilo que o jogador pediu. Para o Santos, é uma proposta razoável (financeiramente). Estamos conversando ainda”, disse o cartola.

Shandon Luneng, time comandado pelo técnico brasileiro Cuca, fez uma proposta no valor de 7,5 milhões de euros (R$ 24 milhões) pelo jogador. O Santos é dono de 50% dos direitos econômicos do atleta, sendo o restante repartido entre três empresas: a Teisa (10%), EMS (20%) e BMG (20%).

A possível venda de Montillo pode ajudar o Santos a repatriar Diego, hoje no Wolfburg da Alemanha. Apesar de já ter um acordo com o meia para trazê-lo em julho, o clube pode até pensar em antecipar a contratação se a saída do argentino for confirmada.

“Hum...Não sei. Vamos primeiro nos basear na proposta que temos do Montillo e ver o que a gente resolve”, falou Odílio depois de fazer uma longa pausa e pensar para responder a questão.

Sábado, Montillo foi titular na estreia do Santos no Campeonato Paulista, diante do XV de Piracicaba, e deixou o gramado da Vila Belmiro com uma lesão na panturrilha esquerda e sequer voltou para o segundo tempo do jogo. O problema preocupa aos médicos do clube. 

No ano passado, o Santos investiu cerca de R$ 16,4 milhões para contratar Montillo, que até então defendia o Cruzeiro. Além do dinheiro, o clube ainda cedeu uma parte dos direitos econômicos do volante Henrique aos mineiros.