Tamanho do texto

Sandro Rosell garantiu que o clube pagou 57 milhões de euros para contratar o atacante brasileiro

Neymar treina com o elenco do Barcelona no começo do ano
Manu Fernandez/AP
Neymar treina com o elenco do Barcelona no começo do ano

O caso da venda de Neymar para o Barcelona ainda repercute na Espanha e também no Brasil. Segundo a veiculação do jornal "El Mundo", desta segunda-feira, o time catalão não pagou 57,1 milhões de euros (R$ 180 milhões), mas sim 95 milhões de euros pela compra do atacante, dando assim uma diferença abrupta de 38 milhões.

Comente esta notícia com outros torcedores

Ciente da publicação, o presidente do Barcelona, Sandro Rosell, preferiu despistar e afirmou que o clube catalão pagou ao Santos o valor divulgado. "Reafirmo: Neymar custou 57,1 milhões de euros e ponto. Digo isso pela enésima vez".

Sem medo e escolhendo bem as palavras, Rosell desafiou o juiz Pablo Ruz para aceitar as denúncias feitas por sócios catalães contra ele e pediu para ser convocado a depor, o mais rápido possível. "Faço um pedido com todo respeito ao senhor juiz. Peço que aceite a denúncia e que me chame para depor", ressaltou.

Valores "escondidos" na transação fariam de Neymar o mais caro da história

Segundo a publicação, o pai de Neymar recebeu uma comissão de 8,5 milhões de euros, sendo quatro milhões para captação de contratos publicitários para o Barcelona; 2,5 milhões para o atacante destinar a projetos sociais, como o Instituto Neymar Jr; e por fim, mais dois milhões para que se possa buscar promessas do Santos para eventuais negociações com o Barcelona.

Após o pronunciamento do dirigente catalão, Odílido Rodrigues, presidente do Santos afirmou que a equipe santista recebeu 17,1 milhões de euros pelos 55% do passe de Neymar. "O Santos recebeu o que revelou. Não há o que esconder, somos transparentes. Se o Barcelona pagou mais, o Santos tem 55% disso e vamos reivindicar isso", disse o cartola.

Odílio ressaltou que o Santos ainda pode ganhar mais 4,5 milhões de euros, caso o segundo amistoso com o Barcelona não seja realizado. Vale lembrar que o primeiro duelo, em 2013, foi vencido pelo time catalão por 8 a 0. "Tem um contrato assinado e o jogo pode acontecer a qualquer ano, durante a permanência de Neymar no Barcelona", explicou.