Tamanho do texto

Recém-reeleito na FPF, Del Nero afirmou que documentos eram início de conversa entre clubes e a entidade

Marco Polo Del Nero e Reinaldo Carneiro Bastos após vitória nas eleições da FPF
Divulgação/FPF
Marco Polo Del Nero e Reinaldo Carneiro Bastos após vitória nas eleições da FPF

Reeleito presidente da Federação Paulista de Futebol , Marco Polo Del Nero não vê problemas na proposta enviada pela CBF à Portuguesa . O cartola preferiu não se pronunciar sobre o caso - que disse não ter conhecimento - por "questão de ética" e disse que o pacto sugerido pela entidade ao clube tratava-se de uma "minuta".

Deixe o seu recado e comente com os outros leitores

"Por acaso já ouviu em falar minuta? Lógico que já, sem dúvida nenhuma. A minuta de contrato é minuta de contrato. Você escreve um monte de coisa, uma parte tira, a outra põe, até chegar a um denominador comum. Temos um contrato com a Rede Globo, SporTV, discutimos muito sobre isso. É assim que funciona a esfera jurídica", disse Del Nero em entrevista coletiva, na sede da FPF.

Jorge Nicola: Lusa quer ouvir conselheiros antes de recusar oferta da CBF

Do outro lado, o presidente da Portuguesa, Ilídio Lico, disse que não aceitará o acordo e levará os documentos ao Ministério Público. Del Nero não vê problemas na não aceitação da Lusa.

José Maria Marin e Marco Polo Del Nero
Divulgação/FPF
José Maria Marin e Marco Polo Del Nero

"O clube não é obrigado a aceitar. Qual é o problema nisso? É uma minuta de contrato que ele aceita ou não. O Ilídio é meu amigo, meu irmão, temos um relacionamento de respeito e amizade. Não tem pra quê mudar isso", completou.

Indagado por jornalistas se tinha conhecimento de tais documentos, o presidente da FPF esquivou-se e disse que nem todos documentos redigidos pela CBF passam pela aprovação dele.

"Eu não li. Quando eu ler, vou tirar minha conclusão e também não vou propagar. Eu não vou dizer. Mesmo que tiver uma posição, não vou pronunciar. Eu tenho que conversar com meus afiliados. Aqui não é a casa da Mãe Joana", limitou-se a declarar.

"Você imagina analisar todos os documentos que são pertinentes ao departamento jurídico passar pela minha mão...A gente administra ordens, funções, e confiamos em nossos funcionários. Digamos que a Portuguesa e a CBF tivesse pedido a minha opinião, aí eu vou ler. Encaramos como todas as críticas sendo como construtivas", completou.

De acordo com Del Nero, houve um encontro com o presidente da Portuguesa na última semana, e o clube mostrou-se descontente com a proposta da CBF. O cartola aconselhou uma contraproposta. "O Ilídio disse que o contrato não era bom. Ele disse: 'Tenho contrato que não é bom para a Portuguesa. Eu disse: Faça uma contraproposta'. Isso aqui está parecendo um inquérito de polícia. A gente tem ética entre os clubes, temos de respeitar. É obrigado a ficar em silêncio", encerrou.

Na noite do último domingo, a ESPN revelou que documentos foram enviados pela CBF à Portuguesa propondo o adiantamento de cotas no valor de R$ 4 milhões para que o clube dispute a Série B do Campeonato Brasileiro em 2014, sem recorrer à justiça.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.