Tamanho do texto

Treinador chega para substituir Cuca e tenta superar a rejeição de parte da torcida atleticana

Ao lado do assessor de imprensa Domênico Behringer, o técnico Paulo Autuori chega para iniciar seu trabalho no Atlético-MG
Bruno Cantini/Futura Press
Ao lado do assessor de imprensa Domênico Behringer, o técnico Paulo Autuori chega para iniciar seu trabalho no Atlético-MG

O Atlético-MG apresentou nesta quinta-feira, o técnico Paulo Autuori como novo comandante da equipe para 2014. O treinador foi contratado em dezembro, mas somente agora ele inicia de fato o trabalho na equipe. O presidente Alexandre Kalil chegou à sala de imprensa para apresentar Autuori e comentou sobre rejeição do treinador pela torcida atleticana, que preferia Levir Culpi.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"O ano do Paulo foi ruim, mas no Brasil tiveram dois treinadores com ano bom, o Marcelo Oliveira e o Cuca. O Luxemburgo, Abel e Muricy foram um fiasco. O Tite foi embora, o Mano Menezes foi mal. Foi o ano do Cuca e do Marcelo", disse o mandatário alvinegro, que aposta que Paulo Autuori vai repetir o sucesso que Cuca teve no clube.

Autuori acredita que o fato do Atlético-MG ter mantido a base da temporada passada será um diferencial em relação a outros clubes, por isso, pretende mexer pouco na formação tática do time. "No Brasil se fala de contratação, o trunfo do Galo é manter o elenco. Em relação a parte tática eu não vou mudar, eu vou apenas dar continuidade Estou chegando para trabalhar apara o clube e não para mim", afirmou.

Mercado da bola: veja o entra e sai de atleta e os boatos que envolvem seu clube

Questionado sobre os pontos que o Atlético-MG precisa melhorar, Autuori se limitou a dizer que não comenta as deficiências da equipe por uma questão ética, mas enalteceu o poder ofensivo da equipe. "A deficiência eu não vou falar por ética. O grande trunfo do Galo todos sabem qual é, trata-se de uma equipe que joga com intensidade e ofensividade. Tem jogadores decisivos", disse.

Atuando no Independência, o Atlético-MG apresentou números muitos bons, mas quando jogou fora de casa, o desempenho não foi o mesmo, problema que Autuori garante que vai resolver com trabalho. "Quando se fala em equilíbrio defensivo e ofensivo depende muito de ser dentro ou fora de casa. Foi assim na Libertadores do Galo. Isso é trabalho, não se resolve isso com palavras. É preciso agir", declarou.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.