Tamanho do texto

Fórmulas pouco atraentes, prioridades em outros torneios e baixo investimento pioram perspectiva para 2014

Arquibancadas vazias: cena comum nos estádios brasileiros
Gazeta Press
Arquibancadas vazias: cena comum nos estádios brasileiros

Os campeonatos estaduais tiveram 9% de redução na presença de público nos estádios em 2013 em comparação a 2012 e fechou a temporada com média de 2,5 mil torcedores por jogo de acordo com estudo da Pluri Consultoria.

Deixe seu comentário para a notícia

Para 2014, a tendência é que os principais estaduais do país sigam esvaziados. A exceção pode ser São Paulo, já que o regional será o único torneio que os quatro grandes clubes do Estado terão para disputar no primeiro trimestre. 

Em Minas e no Rio de Janeiro, com quatro clubes dedicados à disputa da Libertadores, o Estadual deverá ficar em segundo plano. Cruzeiro e Atlético-MG não darão atenção especial ao Mineiro, assim como Flamengo e Botafogo ao Carioca. 

A iniciativa do Atlético-PR em 2013 - que disputou o Paranaense com seu time sub-23 - e preparou o time principal para a Copa do Brasil e o Campeonato Brasileiro, só reforça a tendência de "esvaziamento" dos Estaduais.

As médias de público dos principais Estaduais em 2012 e 2013

Estaduais Média/2012 Média/2013 Variação
Paulista 6.122 pagantes 6.217 pagantes 2%
Mineiro 3.581 pagantes 6.451 pagantes 80%
Carioca 3.058 pagantes 2.422 pagantes -21%
Gaúcho 2.284 pagantes 2.219 pagantes -3%
Pernambucano 9.134 pagantes 5.339 pagantes -42%

Fonte: Pluri Consultoria

Os principais clubes do país começam a encarar os Estaduais como uma grande pré-temporada para competições mais importantes. O Atlético foi vice-campeão da Copa do Brasil e terceiro colocado do Brasileiro, se classificando para a Libertadores de 2014. O Grêmio, que também disputa a Libertadores deste ano e vem de uma disputa em 2013, deve seguir o mesmo caminho. 

De acordo com levantamento da Pluri, dos 25 Estaduais pesquisados (à exceção de Amapá e Roraima), cinco melhoraram suas médias de público de 2012 para 2013: Mineiro, Paulista, Brasiliense, Paraibano e Piauiense.

Ainda assim, esse aumento foi tímido em São Paulo e no Piauí: 2% e 1%, respectivamente. Em Minas, a reabertura do Mineirão fez com que o aumento fosse de 80%. Mesmo caso de Brasília com o Mané Garrincha, que aumentou sua média no Estadual em 60%. Com Atlético e Cruzeiro na Libertadores, a tendência é que essa média se estabilize em MInas em 2014. 

Fórmulas novas
Os principais campeonatos estaduais de 2014 sofreram alteração em suas fórmulas para se adequar ao calendário apertado em virtude da Copa do Mundo. Serão mais curtos para não encavalar com datas da Copa do Brasil e do Brasileirão. Em São Paulo, a saída foi esdrúxula. 

Os 20 times foram divididos em grupos de cinco encabeçados por Corinthians, Palmeiras, São Paulo e Santos. Cada time fará 15 jogos na primeira fase contra adversários dos outros grupos. Os dois melhores times de cada grupo avançam para a próxima fase. Como não há confronto direto pelas vagas, o cenário permite que times com poucos pontos em um grupo fraco avancem e outros com melhor campanha em grupos mais fortes fiquem pelo caminho. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.