Tamanho do texto

Reforço que chegou sem tanto alarde tomou conta da zaga e fez 70 jogos pelo Corinthians em 2013

Gil, zagueiro do Corinthians
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Gil, zagueiro do Corinthians

Menos badalado e mais eficiente dos três reforços contratados pelo Corinthians no início do ano passado - Renato Augusto teve muitos problemas físicos, e Alexandre Pato não conseguiu cavar seu lugar no coração da Fiel -, Gil não quer se apoiar no sucesso recente. O zagueiro diz esperar mais em 2014.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

"Sem sombra de dúvida, 2013 foi um excelente ano para mim, o melhor da minha carreira. Mas procuro estar sempre evoluindo. É esquecer um pouco o que aconteceu e começar 2014 com o pé direito. Procuro esquecer para fazer um ano bem melhor, você precisa provar a cada dia", afirmou.

Leia mais: Mudanças no Corinthians serão mais de atitude do que de tática, diz Paulo André

De acordo com o zagueiro, seu início no clube foi facilitado porque ele foi muito bem recebido. Esse foi um dos motivos pelos quais ele não demorou a achar seu espaço em uma equipe que havia acabado de conquistar o título mundial - Chicão, o antigo titular, começou a temporada machucado, perdeu a posição e foi para o Flamengo.

Agora, Gil não tem nem a necessidade de se ajustar a um novo time e a novos companheiros. A única adaptação necessária é o conhecimento ao novo chefe, Mano Menezes, motivo pelo qual ele demonstra otimismo por um ano ainda mais positivo do que o anterior.

Depois de ganhar a confiança da torcida atuando em impressionantes 70 jogos - mais do que qualquer outro corintiano em 2013 -, o camisa 4 mira novos títulos e, enfim, um golzinho. "Nem nas pelas de fim de ano eu fiz. Estou guardando para 2014, acho que vai sair, sim."