Tamanho do texto

A antecipação dos direitos de transmissão em 2013 deixou os clubes brasileiros com menor poder de investimento

João Paulo de Jesus Lopes, vice-presidente de futebol do São Paulo
Gazeta Press
João Paulo de Jesus Lopes, vice-presidente de futebol do São Paulo

O São Paulo não terá em 2014 um elenco muito diferente daquele que lutou contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro em 2013. Nesta terça-feira, o vice-presidente de futebol João Paulo de Jesus Lopes apresentou o único reforço contratado pelo clube, o lateral direito Luis Ricardo, e demonstrou pessimismo com o mercado de transferências.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

"Vejam bem: temos que deixar muito claro que o São Paulo não está parado em relação a possíveis contratações. Estamos avaliando com o Gustavo ( Vieira de Oliveira, gerente de futebol ) e o Rubens ( Moreno, diretor de futebol ), que têm atuado bastante. Temos o desejo de enriquecer o elenco. Mas também devemos entender que as circunstâncias do mercado são diferentes", argumentou Jesus Lopes.

Mercado da bola: veja as transferências que movimentam o futebol brasileiro

As principais "circunstâncias" que atrapalham o São Paulo são financeiras. Como o próprio dirigente lembrou, a antecipação de receitas da venda de direitos de transmissão de partidas deixou os clubes brasileiros com menor poder para contratar em 2014. Assim como a escassez de investimentos de agremiações europeias em atletas do Brasil. "Além disso, também não temos uma abundância de novos atletas disponíveis aqui. Fica difícil. E que fique bem claro: o São Paulo não fará loucuras", declarou o vice-presidente de futebol.A sanidade já fez a diretoria do São Paulo alongar a sua própria janela de contratações. "Como o primeiro semestre será pouco movimentado, só com Campeonato Paulista e Copa do Brasil, existe um tempo maior para a gente se reforçar", disse Jesus Lopes. Dessa forma, o técnico Muricy Ramalho poderá receber os jogadores com quem gostaria de contar apenas durante as competições.

O São Paulo pretende se reforçar do meio-campo para a frente - no ataque, perdeu Aloísio para o Shandong Luneng, da China, e não renovou o empréstimo de Welliton, do russo Spartak Moscou. Um dos desejos do clube para o setor era o chileno Vargas, que estava emprestado pelo Napoli ao Grêmio em 2013. O clube italiano, no entanto, só aceita ceder o jogador outra vez provisoriamente se tiver a liberdade para vendê-lo após a Copa do Mundo.

Já o volante Jucilei, que defendeu o Corinthians e está no russo Anzhi Makhachkala, é considerado caro pela diretoria do São Paulo. "Ele realmente interessa, mas temos mais alternativas para essa posição. Só haverá sucesso se superarmos a alta remuneração do jogador e o elevado custo de sua transferência", advertiu Jesus Lopes, tentando se manter esperançoso. "Estamos trabalhando. Tenho certeza de que contrataremos mais jogadores, mas respeitando as circunstâncias do mercado."