Tamanho do texto

Se confirmada a chegada de Marcelo Moreno por empréstimo, o clube contrata seu quarto reforço

Praticamente todas as peças do elenco campeão brasileiro em 2013 permanecem no Cruzeiro para a disputa da temporada que vem e o clube começa o ano com poucas pendências para resolver antes da reapresentação dos atletas, marcada para o dia 6 de janeiro. A diretoria celeste volta as atenções para a negociação com o atacante Marcelo Moreno e para os jogadores que voltam de empréstimo e não interessam ao treinador Marcelo Oliveira.

Marlone é um dos reforços do Cruzeiro
Fabio Castro/Agif/Gazeta Press
Marlone é um dos reforços do Cruzeiro

Quanto à contratação do atacante, o acordo precisa apenas do envio de alguns documentos do Shaktar Donetsk, da Ucrânia, que tem parte dos direitos econômicos do atleta. Já existe acordo entre Cruzeiro e Grêmio, que detém a maioria dos direitos, e Moreno já teria acertado os salários que receberá na Raposa.

Se confirmada a chegada de Marcelo Moreno por empréstimo de um ano, o Cruzeiro contrata seu quarto reforço para a temporada. O clube mineiro já confirmou a contratação do lateral paraguaio Samudio, do volante Rodrigo Souza e do meia Marlone.

Por outro lado, a Raposa tem muitos jogadores voltando de empréstimo e a maior parte deles não deve ser aproveitada pelo técnico Marcelo Oliveira. Assim, o clube deve ceder alguns deles por empréstimo, mas os destinos destes atletas ainda não estão definidos.

Por último, falta também acertar a situação do atacante Luan, contratado por empréstimo junto ao Palmeiras até o final do último ano. Com o acordo encerrado, o clube celeste negocia para mantê-lo no grupo que disputará a próxima temporada, mas as conversas com o time paulista ainda não tiveram desfecho.

Do elenco que venceu o Campeonato Brasileiro, apenas dois jogadores deixarão o clube: o zagueiro Paulão, que foi para o Internacional, e o volante Leandro Guerreiro, que não teve o contrato renovado. Além disso, jogadores pouco aproveitados durante o ano ainda podem deixar a Raposa, caso do lateral Everton e do atacante Anselmo Ramon.

93 anos de vida

Completando 93 anos de história nesta quinta-feira, o Cruzeiro tem motivos de sobra para comemorar. Após o tricampeonato brasileiro conquistado na última temporada, o clube promove a tradicional missa de ação de graças, que será realizada na sede social do clube e contará com a presença do presidente Gilvan de Pinho Tavares.

Uma década após a Tríplice Coroa, a Raposa voltou a tomar conta do Brasil em 2013. Em campanha inquestionável, o clube celeste conquistou mais uma estrela ao assegurar o tricampeonato brasileiro, tendo o melhor ataque do torneio, com 77 gols. O melhor jogador da competição e o melhor técnico foram cruzeirenses: Éverton Ribeiro e Marcelo Oliveira. No final do ano, o fracasso do rival Atlético-MG diante do Raja Casablanca, no Mundial de Clubes, ainda corroborou para a festa do torcedor azul.

Cruzeiro é o atual campeão brasileiro
Gazeta Press
Cruzeiro é o atual campeão brasileiro

Fundado em 1921 por colonos italianos, inicialmente o clube celeste recebeu o nome de Sociedade Esportiva Palestra Itália. A mudança para Cruzeiro Esporte Clube ocorreu apenas duas décadas depois, em 1942, quando a Segunda Guerra Mundial estourou na Europa.

O primeiro título nacional foi conquistado em 1966, com a Taça Brasil, que seria reconhecida posteriormente pela CBF como referente ao título brasileiro. As vitórias por 6 a 2 e 3 a 2 nos dois jogos da final contra o Santos de Pelé fecharam com chave de ouro a campanha invicta e coroaram o Cruzeiro com seu primeiro título brasileiro.

Dez anos depois, após três vice-campeonatos nacionais, a Raposa foi mais longe e tomou conta da América. Em 1976, o Cruzeiro venceu o River Plate no Mineirão por 4 a 1 na primeira partida da decisão da Libertadores, mas acabou derrotado no segundo jogo por 2 a 1. A finalíssima disputada em Santiago, no Chile, foi decidida apenas aos 43 minutos do segundo tempo, quando Joãozinho fez 3 a 2 para o clube celeste e garantiu a taça internacional.

Após a conquista da principal competição continental, porém, o Cruzeiro viveu período de seca de títulos nacionais e internacionais e, mesmo com as conquistas estaduais, o torcedor celeste queria taças mais importantes. Nos início da década 90, então, o clube reencontrou as grandes glórias, com dois títulos da Copa do Brasil, o bicampeonato da Supercopa, mais um título da Libertadores e com a Recopa Sul-Americana.

A saga vitoriosa continuou nos anos 2000, e o Cruzeiro ganhou mais duas Copas do Brasil. Em 2003, o clube cravou a Tríplice Coroa, conquistando o Campeonato Mineiro, o tetra da Copa do Brasil e o segundo Campeonato Brasileiro, no qual marcou 102 gols e teve 72,5% de aproveitamento, o melhor da história dos pontos corridos.

Assim, com 93 anos de história, o Cruzeiro Esporte Clube é o único mineiro bicampeão da Libertadores. Além disso, tem sete títulos nacionais, sendo inclusive o maior vencedor da Copa do Brasil, ao lado do Grêmio, com quatro taças. A Raposa ainda detém o maior público da história do Mineirão, onde mais de 132 mil pessoas assistiram à vitória por 1 a 0 sobre o Villa Nova, na final do Campeonato Mineiro de 1997.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.