Tamanho do texto

"Quem sabe o professor não me faz jogar junto com esse jogador? De repente, podemos ter três ou quatro atletas da posição ali", disse o corintiano

Guilherme, volante do Corinthians
Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians
Guilherme, volante do Corinthians

O volante Guilherme tem procurado se informar sobre o interesse do Corinthians na contratação de um novo segundo volante - Jucilei e Elias, titulares da posição antes de Paulinho (hoje no Tottenham, da Inglaterra) despontar, já foram elogiados por dirigentes. E até encontrou uma solução para conter a concorrência.

Deixe seu recado e comente com outros leitores

"Quem sabe o professor não me faz jogar junto com esse jogador? De repente, podemos ter três ou quatro atletas da posição ali. Há espaço para todo o mundo", sorriu Guilherme, que agradou no semestre que teve na vaga de Paulinho - mas não o bastante para o Corinthians deixar de buscar outro substituto.

Ainda que o técnico Mano Menezes não queira povoar o meio-campo corintiano de volantes, Guilherme tenta não se abater. "Estou acompanhando. Se vier mais alguém, será para nos ajudar. Por isso, até agradeço", discursou.

Leia ainda: Jucilei se anima com oferta alemã, e Anzhi nem abre conversa com Corinthians

Em todo o caso, Guilherme também não se acua na hora de fazer média com o comandante contratado para o lugar de Tite. "Tenho certeza de que o convívio com o Mano será o melhor possível. Ele veio para somar. Tomara que nos ajude, que me ensine várias coisas. Quero aprender muito com ele", disse.

Por enquanto, contudo, o volante do Corinthians prefere adiar as suas preocupações com a próxima temporada. Durante as férias, Guilherme só se permitiu entrar em contato com a bola em momentos de descontração ou de filantropia. Na noite de segunda, por exemplo, participou de um jogo beneficente em Jundiaí.

"Estou pensando mais nas minhas férias. Tenho que aproveitar mais um pouco e ajudar as pessoas quando for possível, como nessa pelada de fim de ano. Quero olhar para o Corinthians a partir de 2014. Tenho confiança de que será um ótimo ano para nós", esperançou-se Guilherme.