Tamanho do texto

Treinador da Portuguesa reforça que não houve má-fé na escalação do jogador que pode salvar o Fluminense

Héverton não poderia ter atuado na última rodada do Campeonato Brasileiro
Divulgação
Héverton não poderia ter atuado na última rodada do Campeonato Brasileiro

O técnico Guto Ferreira comentou nesta terça-feira, em entrevista à Rádio Globo, o rebaixamento da Portuguesa à Série B do Campeonato Brasileiro, e revelou que sequer sabia a data do julgamento do meia Héverton. Condenada pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva). O time perdeu quatro pontos pela escalação irregular do jogador na partida contra o Grêmio, válida pela última rodada da primeira divisão nacional.

'Já estava decidido', diz presidente da Lusa sobre julgamento no STJD

"A gente recebe os comunicados sobre as punições - inclusive quando os jogadores serão julgados. Quando veio a notícia de que poderíamos ser rebaixados por isso (escalação de Héverton), foi uma surpresa muito grande. A situação ficou muito estranha", disse.

O treinador reforçou a tese de que não houve má-fé da Portuguesa, uma vez que o centroavante titular Gilberto, que também estava suspenso diante do Grêmio, não foi escalado porque a comissão técnica do time paulista estava ciente da impossibilidade de utilizá-lo. "O Héverton, que era um jogador de reposição, entrou nos últimos 15 minutos"

Para Guto Ferreira, a divisão de opiniões quanto à punição da Lusa - entre juristas contrários e favoráveis - demonstra que a decisão do STJD se baseou em interesses. "A Portuguesa não pode ser prejudicada por interesses. A justiça tem que imperar. E a justiça maior do esporte é dentro de campo, e dentro de campo a Portuguesa conseguiu a manutenção (na Série A)".

Na opinião do treinador, o impasse sobre o futuro da Portuguesa está prejudicando o trabalho da diretoria. "O trabalho dos dirigentes, que teria de ser a busca por A, B ou C, não está existindo, porque o orçamento não está definido. Se houve realmente o rebaixamento, eu acredito que a Portuguesa terá problemas para honrar os compromissos com o plantel, que, para a Série A é barato, mas para a Série B, eu não sei".

Por cinco votos a zero, os auditores do STJD decidiram punir a Portuguesa em primeira instância no julgamento realizado no último dia 16, com a perda de quatro pontos e multa no valor de R$ 1 mil. A Lusa recorreu da decisão, e, nesta sexta-feira, o caso será julgado pelo Pleno do tribunal.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.