Tamanho do texto

Meia reconhece que 'mundo todo está vendo' o Mundial espera comprovar que ainda está em alto nível para voltar à seleção

Ronaldinho Gaúcho, meia do Atlético-MG
Flickr/Atltético-MG
Ronaldinho Gaúcho, meia do Atlético-MG

Disputar o Mundial de Clubes da Fifa tem sabor diferente para Ronaldinho Gaúcho. Além de inédito na carreira do craque, o título da competição pode o garantir mais uma oportunidade com o técnico Felipão na seleção brasileira. Sem tirar o foco da competição, o meia fala sobre o desejo de defender o Brasil na Copa de 2014.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Hoje só penso no Galo, minha cabeça esta 100% no Galo e estou com uma motivação muito grande para dar alegria ao torcedor, representar meu país e meu clube no Mundial. Cada coisa tem seu momento, mas tenho consciência de que o mundo todo está nos vendo e tenho um currículo que todo mundo conhece. Então quero sempre provar que estou num bom momento e estar no ponto mais alto que há no futebol, que é a Seleção", diz.

Apesar de deixar clara sua intenção de voltar a vestir a camisa da seleção, Ronaldinho despista sobre seu futuro após o Mundial. "Não precisamos falar, está todo mundo focado nesses dois jogos e o que acontecer depois do Mundial é uma coisa natural. Agora é manter o foco", declara.

Com contrato até o final deste ano, o jogador pode deixar Belo Horizonte para atuar em outra equipe em 2014 - o Besiktas, da Turquia, é o principal interessado. Quem está mais perto de sair, no entanto, é o técnico Cuca. Com proposta milionária do futebol chinês, o treinador deixou sua decisão para ser tomada após o Mundial. Independente do destino do comandante, Ronaldinho aposta em seu sucesso.

"O Cuca é um cara que acreditou em mim e apostou no meu futebol. Ele está tendo o trabalho reconhecido, muito bem reconhecido (risos), o que é motivo de muito alegria. Agora estamos com foco total no Atlético, mas espero que coisas boas aconteça para ele e o resto dos companheiros", afirmou.

O técnico do Atlético-MG, no entanto, não foi o único elogiado. Seu antigo treinador no Barcelona, Pep Guardiola, também foi lembrado. "É um amigo que terei do outro lado, um cara que está fazendo história no futebol. Será muito bom reencontrá-lo", diz. "Mas hoje pensamos no primeiro adversário, estamos focados no Raja", ressaltou.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.