Tamanho do texto

Zagueiro fez parte da melhor defesa do Brasileirão, com 22 gols sofridos, mas admitiu que o segundo semestre foi melancólico para o Corinthians

Paulo André em treino do Corinthians
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Paulo André em treino do Corinthians

Se ficou muito longe da expectativa no segundo semestre, o Corinthians ao menos manteve bons números na defesa. Com 22 gols sofridos, a equipe teve, de longe, a retaguarda menos vazada do Campeonato Brasileiro, motivo de orgulho para Paulo André.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

"Foi um final de ano não muito feliz, um segundo semestre melancólico, mas tivemos mais uma vez um sistema defensivo muito sólido. O sistema todo, não só a defesa. Mais uma vez, conseguimos a melhor defesa. Estou aqui em nome de todos os jogadores", afirmou o zagueiro.

Campeão brasileiro com expressivos 77 gols, o Cruzeiro tomou 15 a mais do que o Corinthians. Segunda melhor defesa, o Grêmio buscou a bola na rede 13 vezes além do time do Parque São Jorge."O culpado está ali", disse Paulo André, apontando para Tite. "Em três anos no Corinthians, ele trabalhou muito. A nossa linha de defensores tinha sincronia, cobertura, organização. Fez escola, você vê um monte de times copiando, por exemplo, o nosso posicionamento nas bolas paradas."

O problema foi que o sistema ofensivo ficou muito distante da mesma eficiência. O Corinthians marcou apenas 27 gols em 38 rodadas no Campeonato Brasileiro, número superior apenas aos péssimos 22 do lanterna Náutico - que, no confronto direto, fez 1 a 0 no atual campeão mundial.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.