Tamanho do texto

Presidente Paulo Nobre disse que clube tem espaço com qualquer jogador, desde que as partes entrem em acordo. Zagueiro foi afastado no São Paulo por indisciplina

Lúcio, afastado no São Paulo, é pretendido pelo Palmeiras
Djalma Vassão/Gazeta Press
Lúcio, afastado no São Paulo, é pretendido pelo Palmeiras

Lúcio volta a estar entre os pretendidos pelo Palmeiras , mas, diferentemente do ano passado, tem como entrave os atos de indisciplina que o deixaram sem jogar no São Paulo durante todo o último semestre. Para saber se vale a pena apostar no veterano, contudo, Paulo Nobre conta com uma fórmula: repetir o "papo reto" que adotou com Valdivia ao assumir a presidência, em janeiro.

Deixe o seu recado e comente com os outros leitores

"Não existe nenhum preconceito, ninguém tem bola preta para vir para o clube, mas, obviamente, teremos uma conversa direta e franca com os jogadores que têm problema", afirmou o mandatário do Palmeiras, sem negar nem confirmar oficialmente o interesse no defensor. 

Lúcio ainda tem um ano de contrato com o São Paulo, mas o clube não deve impor dificuldades para liberá-lo. O zagueiro desrespeitou Ney Franco publicamente e, internamente, também Paulo Autuori, sendo afastado de imediato pela diretoria. Em sua chegada, Muricy Ramalho foi avisado para nem contar com o atleta por conta de seu temperamento.

Valdivia iniciou 2013 com problema diferente: no ano passado, em meio à briga contra o rebaixamento, escapou de agressão de Marcos Assunção porque se considerava no clube que lhe faltava comprometimento para se recuperar de lesões. Nos dias seguintes aos que se tornou presidente, Nobre teve o que chamou de "papo reto" com o chileno e ficou convencido de que, nesta temporada, não lhe faltaria motivação.

Embora desfalque em todos os jogos decisivos do time em 2013, o atleta mais caro do elenco virou presença mais frequente em campo no segundo semestre. Por isso, a diretoria crê na conversa diante de qualquer dificuldade extracampo. "Vamos tratar qualquer um da mesma maneira que tratamos qualquer jogador que tenha problema de conduta no Palmeiras. É a nossa prática", falou Nobre.

Lúcio já foi um pedido de Gilson Kleina a Arnaldo Tirone, antecessor de Nobre, que tentou vencer a disputa com o São Paulo ligando para o zagueiro no momento em que ele assinava o contrato com o clube do Morumbi. Na época, faltava dinheiro ao Palmeiras para trazer o titular da seleção nas três últimas Copas.

Hoje, o Palmeiras ainda tem dificuldades financeiras, mas Lúcio já não está tão caro porque se desvalorizou em sua passagem pelo São Paulo. Se convencer Nobre de que poderá ser disciplinado e aceitar o contrato de produtividade, no qual receberia salário menor e prêmios maiores do que o comum, será um dos reforços para o centenário. "Todo bom jogador tem espaço no Palmeiras, desde que as partes entrem em acordo", limitou-se a dizer o presidente.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.