Tamanho do texto

Clube agora terá de arpas com impostos sobre altos salários dos jogadores do elenco

Reuters

Monaco terá de pagar impostos na França
REUTERS/ERIC GAILLARD
Monaco terá de pagar impostos na França

A Assembleia Nacional francesa derrubou, na noite de quinta-feira, a isenção que livrava o Monaco de pagar um vultoso imposto sobre altos salários de jogadores.

Deixe o seu recado e comente com os outros leitores

O Monaco tem sede no homônimo principado encravado no sul da França, mas, apesar de estar em um país independente e de não se enquadrar no regime tributário francês, disputa o campeonato de futebol da França.

O imposto "será recolhido pela Liga Francesa em nome do Estado", explicou o deputado Annick Girardin, autor da emenda.

A alíquota tributária de 75 por cento foi inicialmente imposta a indivíduos que ganham mais de 1 milhão de euros (1,38 milhão de dólares) por ano, mas, após protestos de altos executivos e de personalidades como o ator Gerard Depardieu, o governo alterou a lei e determinou que o pagamento do imposto cabe às empresas contratantes.

O imposto se aplica aos rendimentos que superem 1 milhão de euros, mas há um teto de 5 por cento do faturamento da empresa.

Os clubes preveem que o novo imposto acrescentará 20 milhões de euros à sua carga tributária, embora o faturamento do Monaco não deva ser astronômico.

Em 2011/12, quando disputou a segunda divisão francesa, o Monaco faturou apenas 21 milhões de euros. Para efeito de comparação, o PSG deve faturar 400 milhões neste ano.