Tamanho do texto

Presidente do Vasco divulgou vídeo em que justifica tentativa de anular partida. Ele alega que partida não deveria ter iniciado

Assim que o Vasco foi goleado pelo Atlético-PR por 5 a 1 e confirmou seu rebaixamento para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro, o presidente Roberto Dinamite compareceu diante dos jornalistas, mas não quis responder nenhuma pergunta. Apenas fez um pronunciamento lamentando o ocorrido e dizendo que já estava pensando no planejamento para 2014. Nesta quinta-feira o dirigente voltou a se manifestar, porém, novamente fugindo do contato com os repórteres, decidiu reaparecer por intermédio de uma mensagem em vídeo divulgada pelo site oficial do clube.

Leia também: Grupo defende maior restrição à bebida alcóolica para diminuir violência

No vídeo Roberto Dinamite, que aparece com a fisionomia triste, admite que o Vasco vai buscar no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) a inversão dos pontos do jogo contra o Atlético-PR. Se conseguir essa pontuação, o Cruz-Maltino vai escapar do rebaixamento para a Série B.

"Entramos com a medida cabível no sentido de mostrar tudo o que aconteceu. O que buscamos são reparos com relação àquilo que consideramos de suma importância para que o espetáculo tenha plena condição de segurança para ser realizado. Estamos tristes e vamos lutar até o final para que esse reparo possa estar acontecendo e, com isso, o Vasco vai lutar pelos três pontos, já que entendemos que foi tirada a tranquilidade e o equilíbrio para lutar pelo resultado que interessava. Mais do que nunca, o Vasco está tomando decisões e, através do seu corpo jurídico, defenderá a instituição", disse o mandatário.

Ainda no vídeo, Roberto deixa evidente a insatisfação com a segurança da partida e entende que o Atlético, como mandante, não tomou as medidas necessárias para a realização do confronto. O dirigente só não explica os motivos que levaram o Vasco a aceitar prosseguir com o jogo mesmo sem segurança, fato muito explorado pelos seus opositores.

"O Vasco lutando contra o rebaixamento, o Atlético querendo a Libertadores... Seria um jogo tenso, disputado, e na parte que compete ao mandante não houve atitude de garantir o espetáculo. Fatos que, com todo o respeito, sou totalmente contra. Então tem que se analisar isso tudo. O torcedor do Vasco, num primeiro momento, ficou acuado num espaço menor e aí teve o tipo de reação de defesa. Sou contra a violência, não admito e não aceito, mas acho que mais do que nunca esse jogo não poderia e não deveria ter sido reiniciado em razão de não ter policiamento adequado para importância da partida", explicou Dinamite.

Nesta sexta o STJD vai julgar as condições de realização da partida e as punições aos dois clubes, que deverão perder mandos de campo. Já na próxima semana deverá acontecer o julgamento do recurso do Vasco, que pede a inversão dos pontos do jogo. Se isto acontecer o time escapa da Série B e rebaixa o Criciúma. Logicamente isto também dependerá do julgamento da Portuguesa, acusada de escalar o meia Heverton de maneira irregular no empate sem gols com o Grêmio no domingo passado.

Dentro de campo, o elenco está de férias e a reapresentação está marcada para 6 de janeiro, quando começa a preparação para o Campeonato Carioca e Copa do Brasil. A estreia no torneio estadual está prevista para acontecer no fim de semana de 18 e 19 de janeiro, diante do Boavista, em São Januário. Esta semana o clube ainda espera acertar a renovação de contrato do técnico Adilson Batista e ainda a contratação de um diretor executivo para o departamento de futebol.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.