Tamanho do texto

Wallim Vasconcellosdiz vê prejuízos dentro de fora de campo para os dois clubes cariocas remanescentes na Série A com as quedas de Vasco e Fluminense

Wallim Vasconcellos, vice de futebol do Flamento
Site oficial
Wallim Vasconcellos, vice de futebol do Flamento

Não são apenas os vascaínos e tricolores que estão lamentando o rebaixamento de seus clubes à Série B do Campeonato Brasileiro. O vice-presidente do Flamengo , Wallim Vasconcellos, se mostrou preocupado com as possíveis consequências que a queda da dupla pode trazer ao futebol carioca e se colocou na torcida para que o Botafogo se classifique à Libertadores.

"É sempre bom ter mais um. Se tivermos na Libertadores um jogo como tivemos na Copa do Brasil (1 a 1 e 4 a 0 para os rubro-negros na semifinal) é importante para a motivação, para a rivalidade e também para a receita. Espero que isso aconteça e, quem sabe, a gente possa jogar contra eles", projetou o dirigente, que torcerá contra a Ponte Preta na final da Copa Sul-americana, à Rádio Globo .

Enquanto o Botafogo aguarda uma vitória do Lanús para ficar com a vaga na Libertadores, Wallim tenta mensurar os prejuízos que o rebaixamento de dois clubes grandes do Rio de Janeiro podem provocar. As perdas passam pela audiência das televisões, bilheteria do Maracanã e até mesmo pelas conversas de bar entre torcedores rivais.

"Vamos perder vários jogos do Campeonato Brasileiro, além da rivalidade saudável. Estamos muito chateados com essa situação. O futebol do Rio não merece ficar assim. Perdemos a rivalidade de querer ganhar do Vasco e Fluminense. Perde-se em receita, perde-se aquela disputa. Isso para o Flamengo é ruim e acho que para o Botafogo também", lamentou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.