Tamanho do texto

Ex-jogadora afirma que clube preferiu dispensá-la ao invés de oferecer ajuda

Bebel diz que Santos conhecia o vício dela
Aretha Martins/iG
Bebel diz que Santos conhecia o vício dela

A ex-jogadora Bebel, que se recupera do vício das drogas, afirmou em entrevista ao iG Esporte que o Santos sabia que ela era dependente química e optou por dispensá-la, ao invés de oferecer ajuda. Ele foi contratada pelo clube em janeiro de 2011, mas foi dispensada no mesmo ano por indisciplina.

Ex-Santos e seleção, Bebel supera prisão e recaídas para se afastar do crack

Ela ainda afirma que em nenhum momento pediu desculpas ao Santos. "Quem deveria pedir desculpas eram eles, porque foram muito negligentes. Eu fui muito transparente quando eu fui pedir a rescisão do contrato, dizendo que eu precisava de ajuda. E precisava! Eu precisava continuar jogando futebol. Mas, naquele momento, eu precisava ficar com a minha família, e eles foram muito negligentes", afirmou.

Deixe seu recado e comente esta notícia com outros leitores

"Hoje eu não guardo nenhum tipo de rancor deles. Acho que eles agiram porque para o Santos foi um susto muito grande. ‘Eu tenho uma atleta que usa crack, eu não posso ajudar ela, não posso fazer nada por ela, então eu vou encerrar por aqui’. Inclusive, depois que eu saí do Santos, três meses depois o time acabou. O castigo deles não foi meu, não precisou eu fazer alguma coisa. O castigo deles veio do céu, mesmo", disse ela, referindo-se ao término do futebol feminino em janeiro de 2012.

A reportagem entrou em contato diversas vezes com o presidente Odílio Rodrigues para falar sobre o caso, porém, ele não respondeu às ligações.

CBF preferiu se isentar

De acordo com Bebel, não foi somente o Santos que não quis se pronunciar. A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) também não fez nenhum esforço para ajudá-la, e ela mesma procurou o treinador da seleção com a ajuda da goleira Andreia Suntaque.

"Eu cheguei a falar com o Jorge Barcellos (até então técnico da seleção brasileira feminina), na época que eu estava no Juventus. A Andreia Suntaque me trouxe o telefone dele e eu falei com ele. Ele me disse que, se percebesse que estava eu mostrando interesse em jogar futebol e ficase limpa, daria mais uma chance na seleção brasileira", declarou.

* vídeo : imagens de Aretha Martins e Gabriela Chabatura e edição de Aretha Martins