Tamanho do texto

Apesar de ter vencido por 2 a 1 fora de casa, atual campeão vê Coritiba ganhar do São Paulo e não consegue escapar da queda à Série B

O Fluminense refez o caminho que sua torcida tanto temia. Neste domingo, o time do técnico Dorival Júnior venceu o Bahia por 2 a 1, na Arena Fonte Nova, mas foi mais uma vez rebaixado à Série B do Campeonato Brasileiro. Assim como na década de 1990, quando passou por vexames seguidos, o time do Rio de Janeiro se despediu da elite nacional.

Veja imagens dos jogos desta última rodada do Brasileirão

A situação do Fluminense era dramática antes mesmo de iniciar esta última rodada, já que o clube precisava da vitória em Salvador e ainda contar com tropeços de Coritiba e Vasco. Apesar de ter cumprido seu dever, o Fluminense foi rebaixado porque os paranaenses venceram o São Paulo e se mantiveram na Série A.

Com Fred nas tribunas, em função da lesão muscular que o tirou de boa parte do campeonato, o Fluminense saiu atrás no placar, já que o gol de William Barbio deu vantagem ao Bahia. No segundo tempo, quando partiu no desespero para o ataque, virou com Wagner e Samuel, mas não havia mais nada a ser feito.

As quedas atormentaram também o clube das Laranjeiras na última década do século passado. No Brasileirão de 1996, terminou na zona de rebaixamento, mas foi mantido na elite na temporada seguinte pela organização. Porém, o Fluminense repetiu os erros em 1997 e, desta vez, caiu para a segunda divisão.

No ano seguinte, a péssima campanha na Série B derrubou o time do Rio de Janeiro para a terceira divisão nacional. Assim, em 1999, o Fluminense jogou a Série C, sendo campeão. Em vez de ter subido para a segunda divisão, o time foi direto para a elite novamente, participando da Copa João Havelange de 2000.

Gum e Fernandão disputam a bola pelo alto
Romildo de Jesus/Futura Press
Gum e Fernandão disputam a bola pelo alto

O jogo

O Fluminense começou a partida quase aproveitando um presente do adversário. Fernandão perdeu a bola na saída do campo defensivo, e Rafael Sobis avançou para chutar, ao lado da meta defendida por Marcelo Lomba. Na resposta dos donos da casa, Talisca arriscou a batida de fora da área, e Diego Cavalieri espalmou para dentro da área. Marquinhos chegou pela direita e finalizou no rebote, exigindo boa defesa do goleiro.

O Fluminense tentou se manter tranquilo para buscar o ataque, mas mostrava problemas no ataque. Wagner ganhou a bola na entrada da área e chegou em boas chances, mas arrematou fraco, facilitando para o goleiro. Na jogada seguinte, Gum pegou bola rebatida na área e foi travado no momento da finalização.

O Bahia seguiu mais cauteloso, priorizando a defesa. Assim, o time visitante tinha a esperança de pressionar, inclusive Kenedy chegou bem pela direita e cruzou rasteiro, mas Fabrício Lusa afastou. Mesmo em situação desesperadora, o time de Dorival Júnior não conseguia criar chances de perigo.

Assim, o time de Salvador se sentiu à vontade para avançar. Aos 29, William Barbio arriscou a batida de fora da área e viu Diego Cavalieri se esticar para salvar. Pouco depois, Fernandão subiu mais do que a defesa e cabeceou para fora. Como o Fluminense continuou arriscando apenas em batidas fracas, o Bahia intensificou a parte ofensiva. Talisca arrematou de fora da área e, mais uma vez, o goleiro espalmou.

Porém, aos 41, o time da casa abriu o placar. Marquinhos cruzou rasteiro da esquerda, e William Barbio se livrou da marcação para chutar e balançar as redes. Antes do fim do primeiro tempo, o técnico Cristóvão Borges ainda foi obrigado a tirar Titi, lesionado, para colocar Feijão.

No intervalo, o técnico Dorival Júnior tirou o lateral Igor Julião para a entrada de Samuel. Logo na primeira jogada da etapa, o Fluminense quase empatou. Rafael Sobis recebeu na área, driblou o goleiro e, diante do gol aberto, finalizou para fora, desperdiçando oportunidade inacreditável.

Na resposta dos donos da casa, William Barbio puxou contragolpe pela direita, deixou o marcador para trás e finalizou rasteiro, para defesa de Diego Cavalieri, enquanto Fernandão tinha esperança de concluir. Sem alternativa, o Fluminense partiu no desespero ao ataque e conseguiu empatar. Aos dez, Rafael Sobis ganhou de dois adversários pela direita e cruzou rasteiro para a pequena área, onde Wagner se antecipou e chutou para fazer o gol.

Depois disso, Cristóvão Borges tirou Marquinhos Gabriel para colocar Diones. O Fluminense continuou melhor em campo, enquanto o Bahia se armou para responder em contragolpes. Aos 37 minutos, Samuel aproveitou cobrança de falta na área e mandou de cabeça para as redes. Porém, quase ao mesmo tempo, o Coritiba teve confirmada sua vitória sobre o São Paulo, confirmando a queda.

FICHA TÉCNICA -  BAHIA 1 X 2 FLUMINENSE
Local:
Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)
Data: 8 de dezembro de 2013 (Domingo)
Horário: 17 horas (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (Fifa-RS)
Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva (Fifa-GO) e Rafael da Silva Alves (RS)
Cartões amarelos: Anderson Talisca (Bahia). Igor Julião (Fluminense)

GOLS
BAHIA:
William Barbio, aos 41 minutos do primeiro tempo
FLUMINENSE: Wagner, aos 10, e Samuel, aos 37 minutos do segundo tempo

BAHIA: Marcelo Lomba, Rafael Miranda, Demerson, Titi (Feijão) e Raul; Fahel, Fabrício Lusa, Marquinhos Gabriel (Diones) e Anderson Talisca; William Barbio (Wangler) e Fernandão
Técnico: Cristóvão Borges

FLUMINENSE: Diego Cavalieri, Igor Julião (Samuel), Gum, Leandro Euzébio e Wellington Silva; Edinho, Jean e Wagner; Biro Biro (Rafinha), Rafael Sobis e Kenedy (Robert)
Técnico: Dorival Júnior

*Com Gazeta

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.