Tamanho do texto

Clube carioca foi rebaixado para a Série B do Brasileiro depois de perder por 5 a 1 para o Atlético-PR em jogo marcado por briga entre torcedores dos dois clubes

Roberto Dinamite cansou de ir ao campo da Arena Joinville para pedir que o jogo contra o Atlético-PR não continuasse após a briga entre os torcedores e dar entrevistas reforçando isso. Mas, depois do rebaixamento consumado, se limitou a dar um rápido pronunciamento com pouca informação.

O presidente do Vasco saiu dos vestiários mais de uma hora depois da goleada por 5 a 1 sofrida para o Atlético-PR e acompanhado pelo diretor executivo Ricardo Gomes. Ele se recusou a responder perguntas, dando uma curta declaração.

Veja fotos da briga entre torcedores de Atlético-PR e Vasco:

"Lamentamos tudo que ocorreu. Não só o rebaixamento, que é uma coisa que todos nós estamos sentindo. Um clube com a tradição e a grandeza do Vasco não merecia tal situação. Lamentamos também o ocorrido (a briga entre torcedores ), que foge de qualquer normalidade do futebol. Trabalhamos para projetar o Vasco em 2104 voltando à primeira divisão o mais rápido possível", disse Dinamite.

Antes de contar com a ajuda de um segurança para escapar dos repórteres que o cercavam, o presidente ainda perguntou a Ricardo Gomes se gostaria falar alguma coisa. Diante da negativa do dirigente, o torcedor vascaíno pouco tem a ouvir dos dirigentes após o segundo rebaixamento em cinco anos.

A última reação de Dinamite contra o rebaixamento foi invadir o gramado e chegar a discutir com dirigentes do Atlético-PR para que a partida não continuasse. O presidente reclamava que a arbitragem não respeitaria a vida se prosseguisse com o jogo, o que ocorreu e terminou com o retorno do Vasco à segunda divisão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.