Tamanho do texto

Nos vestiários do estádio do Pacaembu, onde treinou nesta terça, técnico da Ponte Preta confirma que repetirá a escalação que utilizou para eliminar o São Paulo

Jorginho, técnico da Ponte Preta
Divulgação
Jorginho, técnico da Ponte Preta

A Ponte Preta não abandonará seu estilo de jogo para enfrentar o Lanús na decisão da Copa Sul-Americana. Depois de ouvir o meio-campista adversário González dizer que a equipe de Campinas não tem um estilo tão brasileiro, o técnico Jorginho confirmou que seu time adota uma estratégia mais cautelosa.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Eles estão acostumados a enfrentar grandes do futebol brasileiro. Porém, nós somos pequenos e temos de jogar assim, porque é a desta forma que a equipe encaixou, mas também sendo ofensivos", afirmou o treinador, depois do último treino da Ponte antes da primeira partida da decisão.

Confira tabela de jogos, artilharia e notícias do Campeonato Brasileiro

Nos vestiários do estádio do Pacaembu, onde treinou nesta terça, Jorginho confirmou que repetirá a escalação que utilizou para eliminar o São Paulo na semifinal. Sem novidades na formação, o técnico explica que os cuidados defensivos não podem impedir seu time de buscar o ataque, até porque o primeiro compromisso da final será na capital paulista.

"Somos uma equipe bem equilibrada taticamente. Não ficamos apenas na defesa, precisamos nos expor, mas com organização. É preciso ter o equilíbrio para sair marcando em conjunto, bem compacto, para não sofrer contra-ataque", comentou.

Rebaixado antecipadamente à Série B do Campeonato Brasileiro, Jorginho admite que o estilo de jogo da Macaca não funcionou no Nacional, dando mais resultados na campanha vitoriosa na Sul-americana.

"É muito simples. No Brasileiro, tivemos oportunidades em casa, nas quais tínhamos de ir para cima do adversário, mas acabávamos sofrendo gols. Contra o Flamengo, com um a mais, tínhamos de ganhar, mas nossa característica é de jogar fechado e sair em velocidade. Contra o Náutico, jogamos em cima e tomamos gol. É diferente da Sul-americana, porque ficamos sempre bem posicionado taticamente, esperando o momento certo", completou.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.