Tamanho do texto

Treinador respondeu com acenos tímidos à ovação do público presente no empate com o Inter e fez gestos para dividir a festa com o lateral direito Alessandro, que encerrará a carreira

Tite chorou em diversos momentos da noite deste sábado. Homenageado pela torcida do Corinthians antes, durante e depois do empate sem gols com o Internacional , o seu último jogo pelo clube no Pacaembu, o técnico até tentou conter a emoção. Respondeu com acenos tímidos a ovação do público presente e fez gestos para dividir a festa com o lateral direito Alessandro, que encerrará a carreira ao término do Campeonato Brasileiro.

LEIA: Em noite de festa, Tite dá adeus ao Pacaembu com 0 a 0 contra o Inter

"Peço desculpas por não ter passado na frente de todos os torcedores para agradecer. Não queria aparecer. Se eu fizesse algo assim, pareceria que eu pretendo trazer para mim todas as glórias, a mídia", justificou Tite, que trocou o agradecimento presencial à torcida por várias palavras de carinho. "O torcedor corintiano teve um papel fundamental em todas as nossas conquistas. Ele sempre nos apoiou. Isso é um diferencial."

Apesar da preocupação de não se mostrar egocêntrico, Tite encontrou dificuldades para se controlar. Quando a partida contra o Inter acabou, por exemplo, o gaúcho deixou escapar uma frase: "O sonho acabou". Depois, bateu no peito em direção às arquibancadas e caminhou pelo gramado, evitando longas entrevistas.

"Aquele foi o meu sentimento na hora. O sonho à que me referi é o de permanecer em uma grande equipe, com um grupo de trabalho extraordinário. Sou um ser humano. É preciso ter muita coragem para externar o sentimento que estou tendo agora", bradou Tite, começando a chorar em sua entrevista coletiva. "Esse é o meu jeito. Sou muito intenso. Comigo, não existe meio termo. O Corinthians foi um sonho, um momento mágico na minha carreira. Isso não tem dinheiro que pague."

Torcedores do Corinthians levaram faixas agradecendo Tite por seu trabalho
Gazeta Press
Torcedores do Corinthians levaram faixas agradecendo Tite por seu trabalho

A emoção fez até o treinador deixar de lado o discurso humilde e ponderado para exaltar os seus feitos à frente do Corinthians. "Ninguém no futebol mundial teve tanto sucesso em um espaço de tempo como esse. Estou incluindo nisso os grandes clubes europeus", comparou.

Passadas as glórias, os empates como o deste fim de semana e o Corinthians, Tite agora quer descansar. O técnico foi aplaudido por jornalistas e ainda ganhou uma caipirinha de presente de um programa humorístico - ele sempre se declarou apreciador da bebida. Longe do Parque São Jorge, seus planos são de estudar com colegas como Mário Jorge Lobo Zagallo e o argentino Carlos Bianchi antes de retomar a carreira.

"Se puder, evito"

"Visto a camisa mesmo", disse Tite, de camisa preta, como um bom corintiano. O alvinegro caiu tão bem no técnico que comandou o Corinthians pela última vez no Pacaembu na noite de sábado, no empate sem gols com o Internacional, que ele já não consegue mais se imaginar no vestiário ou no banco de reservas visitante do estádio municipal.

"É muito difícil jogar contra pessoas que você quer bem. Será complicado se eu tiver de enfrentar o Corinthians. Se isso acontecer... Se puder, eu evito. Falo isso por respeito ao sentimento do torcedor", comentou Tite, ainda no calor da emoção das inúmeras homenagens que recebeu no Pacaembu.

Pelo menos no começo de 2014, o confronto com o Corinthians não ocorrerá. Tite já anunciou que não conseguirá se desvincular do clube pelo qual foi campeão paulista, brasileiro, sul-americano e mundial tão facilmente a ponto de se transferir para uma equipe brasileira de imediato.