Tamanho do texto

Hernane, Paulinho, Luiz Antônio, Amaral e o técnico Jayme de Almeida viram destaque no novo Flamengo, que adotou um discurso humilde, sem soberba e oba-oba

O Flamengo  tricampeão da Copa do Brasil tem a cara da torcida rubro-negra. Batalhadores e famintos, Hernane, Paulinho, Luiz Antônio, Amaral e o técnico Jayme de Almeida dividiram o protagonismo com o badalado Elias e honraram a história de um clube identificado com o povo. Para isso, o Fla foi na contramão de sua história recente e mudou a postura administrativa. A gestão de Eduardo Bandeira de Melo tem os pés no chão, com gastos reduzidos para tentar recuperar o clube financeiramente.

Comente o título do Flamengo na Copa do Brasil!

Veja fotos da conquista do Flamengo na Copa do Brasil:

O acúmulo de dívidas e confusões das últimas gestões do Flamengo deu lugar a uma administração cautelosa e sem falsas promessas. Bandeira de Mello encontrou o clube repleto de dívidas e implantou um plano de recuperação financeira de médio a longo prazo, focado na responsabilidade fiscal e na captação de recursos. Medidas impopulares mostraram-se eficientes e bem sucessidades, e o título de quarta-feira é prova disso.

No futebol, o Flamengo teve atuação discreta no mercado de transferências para 2013. Grande ídolo da torcida em 2012, Vágner Love foi uma das vítimas da austeridade financeira e deixou o clube. Nas modalidades olímpicas, novas vítimas: a ginástica, a natação e o judô, que geravam déficit de R$ 14,5 milhões ao ano.

Leia mais: Título salva ano conturbado, e volta à Libertadores dá novo ânimo ao Flamengo

Atento às novas tendências, o clube de maior torcida do País intensificou o investimento no plano de sócio-torcedor, e a iniciativa tem sido cada vez mais rentável. O clube ganhou milhares de adesões nas últimas semanas e já passou da marca dos 50 mil sócios.

Confira ainda: Apesar de título, Jayme evita falar de futuro no Fla: “Não sou adivinho”

Em meio à contenção de gastos, a diretoria flamenguista não prometeu título neste primeiro ano de administração, mas a taça chegou mesmo assim. Elias, o reforços mais estelar, virou o ‘motorzinho’ do Flamengo e justificou o investimento, mas é exceção entre os destaques na campanha.

Hernane comemora o segundo gol do Fla diante do Atlético-PR na final da Copa do Brasil
Alexandre Loureiro/Inovafoto/Gazeta Press
Hernane comemora o segundo gol do Fla diante do Atlético-PR na final da Copa do Brasil


Oportunista, Hernane brilha no novo Maracanã
Revelado no São Paulo, Hernane não teve chances no clube paulista e foi emprestado para outros clubes até ser contratado pelo Paraná, onde também não teve sucesso. Ganhou destaque no Paulistão pelo Mogi Mirim, com 16 gols, e assim chegou ao Flamengo no ano passado. Ganhou espaço após a saída de Vágner Love, colocou Marcelo Moreno no banco e deu à torcida flamenguista o título da Copa do Brasil, com direito à artilharia da competição, feito que Love não conseguiu.

Sem a técnica de Romário ou a força de Adriano, Hernane é oportunista e erra pouco. Faz gols de todas as formas, e foi assim nesta quarta, no segundo gol do Flamengo. Nos acréscimos, o ‘Brocador’ recebeu passe de Luiz Antônio, dominou a bola meio desajeitado e mandou de virada no canto do goleiro.

Caiu nas graças da torcida rubro-negra, com 17 gols em 17 partidas no novo Maracanã, estádio que o tem como principal artilheiro. Com contrato renovado até fevereiro de 2016, Hernane é presença certa na Libertadores de 2014.

Ágil e habilidoso, Paulinho cresce e encanta
Paulinho foi outro que chegou sem alarde. Porém, com agilidade, velocidade e drible fácil, parece onipresente em campo. Atuando pelo lado esquerdo do ataque, infernizou as defesas adversárias e cresceu bastante na reta final da Copa do Brasil. com uma calma impressionante para um garoto de 20 anos, brilhou na decisão e deu assistência no gol de Elias, o primeiro da vitória que selou o tri.

Reforço vindo do XV de Piracicaba, seu empréstimo se encerra em maio do ano que vem e as conversas para a aquisição de 60% de seus direitos econômicos, com valor estipulado em R$ 1 milhão, estão adiantadas. A compra do jogador é uma das prioridades do Flamengo, e Paulinho seguirá na disputa da Libertadores em 2014.

Luiz Antônio e Amaral decidem na final
Revelado na base do Flamengo, Luiz Antônio é o coringa do time. Já atuou como lateral, volante e agora atua pela direita do meio-campo, uma aposta de Jayme de Almeida. Titular absoluto do time, acertou bela cobrança de falta na trave no primeiro tempo da final e deu o passe para Hernane decretar o título. De quebra, foi eleito o melhor jogador da partida desta quarta-feira.

Já Amaral não preza pela técnica apurada, mas compensa com raça e entrega dentro de campo. Na partida de ida da final, no Paraná, acertou chutaço de fora da área, deu o empate ao Flamengo e garantiu a vantagem para o jogo do Maracanã.

Sob a batuta de Jayme de Almeida, jogador cria da casa e alçado de auxiliar a técnico em 2013, o time humilde e cheio de garra do Flamengo promete para 2014.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.