Tamanho do texto

Foi no mesmo estádio que o treinador conseguiu chegar à final do Paulistão, quando ainda treinava o Santos, ao vencer o Mogi Mirim

Muricy Ramalho orienta o time do São Paulo na Colômbia
Rubens Chiri/Divulgação
Muricy Ramalho orienta o time do São Paulo na Colômbia

Palco do duelo contra a Ponte Preta, o estádio Romildo Vitor Gomes Ferreira não traz boa recordação recente para o São Paulo . Mas, para Muricy Ramalho, sim. Lá, ele conseguiu se classificar para sua única final de competição no ano, objetivo que volta a buscar a partir das 21h50 (de Brasília) desta quarta-feira, agora na Copa Sul-Americana.

Deixe o seu recado e comente com os outros leitores

O Romildão foi onde o Santos, então treinado por Muricy, venceu o Mogi Mirim, em 4 de maio. Após empate por 1 a 1 no tempo regulamentar, a equipe alvinegra passou à decisão do Campeonato Paulista ao ganhar por 5 a 4 nos pênaltis, perdendo o título posteriormente para o Corinthians.

Confira a tabela de classificação da Copa Sul-Americana

A partida desta quarta-feira estava inicialmente marcada para o Moisés Lucarelli, mas o estádio de Campinas foi vetado pela Conmebol, que atendeu solicitação são-paulina para fazer valer a exigência - estabelecida no regulamento da competição continental - de um local com capacidade mínima para 20 mil espectadores. O novo palco, não apenas pela boa lembrança da classificação pelo Santos, agrada a Muricy.

"Tem muito espaço para jogar, senão fica apertado, com muitas faltas. As dimensões são excelentes. Sempre gostei de jogar lá porque dá para se jogar bem. Não sei como está o gramado, porque faz tempo que não vou para lá", opinou o agora são-paulino, que precisa reverter desvantagem significativa, após ter perdido por 3 a 1 para a Ponte, no Morumbi.

Apesar de seu time precisar de pelo menos três gols, o treinador não quer pressa. "Gosto muito de basquete, e quando se está perdendo por diferença de 20 pontos, não vai querer tirar diferença em uma cesta. É cesta a cesta. Futebol também. Vamos procurar o primeiro gol, quem sabe o segundo e o terceiro. Mas de modo organizado. Sem loucura, senão vira uma pelada. Tem que ter paciência e procurar o gol naturalmente", projeta.

Na última vez em que o São Paulo foi ao Romildão, não voltou com um bom resultado. À época treinado por Ney Franco e já garantido na semifinal estadual, o time foi escalado apenas com reservas e perdeu por 1 a 0 para o Mogi Mirim. Da provável escalação titular desta quarta-feira, apenas o lateral direito Douglas e o atacante Ademilson também estiveram em campo naquele 21 de abril.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.