Tamanho do texto

Equipe catarinense tem 43 pontos na tabela, ocupa a 15ª colocação no Brasileirão e precisa da vitória diante do time paulista para fugir da zona de rebaixamento

Marlon, lateral esquerdo do Criciúma
Gazeta Press
Marlon, lateral esquerdo do Criciúma

O Criciúma terá de dar tudo o que pode no jogo diante do São Paulo, neste domingo, no Heriberto Hulse, pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro. É isto o que prega o lateral do Tigre, Marlon. Em entrevista coletiva após o treinamento desta quarta-feira, o jogador pediu empenho máximo à equipe na partida que pode garantir a permanência na primeira divisão nacional.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

"Pensamos em fazer nosso trabalho. Aqui dentro temos que entrar, nos doar ao máximo para conseguir o resultado. Vamos trabalhar ao máximo esta semana para enfrentar a equipe do São Paulo. Temos que entrar para conquistar os três pontos", declarou Marlon.

Confira classificação, notícias, tabela de jogos e artilharia do Brasileirão

Para escapar do rebaixamento já neste fim de semana, a equipe catarinense terá que vencer o Tricolor e torcer para que Fluminense, Coritiba e Vasco não conquistem os três pontos nos duelos diante de Atlético-MG, Botafogo e Náutico, respectivamente. Assim, o confronto com os paulistas é encarado como o jogo do ano pelo Tigre.

"Falamos que é o jogo do ano porque é um jogo decisivo e o último do Criciúma dentro de casa. A gente sabe que pode encaminhar muito a nossa permanência na primeira divisão. Estamos focados num só objetivo, que é a vitória no domingo. Depende só de nós. Temos que entrar com toda a vontade para buscar o resultado positivo", acrescentou o lateral.

Neste momento, o Criciúma é o 15º colocado do Campeonato Brasileiro com 43 pontos, um a mais que Fluminense e Coritiba, e a dois de distância do Vasco, no 18º posto. Caso não consiga se livrar do descenso já nesta rodada, o Tigre ainda pega o Botafogo no último compromisso, fora de casa, para garantir a permanência na elite nacional em 2014.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.