Tamanho do texto

Partida de ida da Sul-Americana será nesta noite, às 22h15, no estádio Nicolás Leoz, na cidade de Assunção, no Paraguai

Jorge Recalde marcou para o Libertad ns quartas de final da Sul-Americana
Jorge Adorno/Reuters
Jorge Recalde marcou para o Libertad ns quartas de final da Sul-Americana

Ainda com objetivos a conquistar em duas competições níveis diferentes, nacional e continental, Libertad e Lanús se enfrentam nesta quinta-feira, às 22h15 (de Brasília), no estádio Nicolás Leoz, em Assunção, Paraguai, pelo jogo de ida da semifinal da Copa Sul-Americana. Mesmo com capacidade máxima para 12 mil pessoas, o pequeno estádio paraguaio não foi vetado pela Conmebol, como aconteceu com o Moisés Lucarelli, da Ponte Preta, capaz de abrigar até 19 mil pessoas.

Deixe seu recado e comente com outros leitores

De acordo com o regulamento da competição, os estádios devem ter capacidade mínima para até 20 mil pessoas acomodadas com segurança. O veto não aconteceu desta vez porque o Lanús não pediu mudança no local do jogo, como fez o São Paulo, que enfrenta os campineiros na outra semifinal. Nas eliminatórias anteriores, entretanto, o Libertad teve de atuar no Defensores del Chaco, após pedidos de Sport e Itagüí-COL.

O objetivo dos gumarelos não é apenas conquistar o título da competição. A equipe ainda não conseguiu garantir vaga na Copa Libertadores de 2014, e mantém acesa essa possibilidade nesta semifinal. As vagas do Paraguai para o principal torneio do continente são divididas entre o campeão do Apertura, campeonato nacional do primeiro semestre, Clausura, do segundo semestre, e o melhor colocado quando somada a pontuação dos clubes no ano inteiro, vaga que pode ser perdida caso um paraguaio conquiste a Sul-Americana. Assim, o Libertad, que não venceu o Apertura e já não pode mais ganhar o Clausura, também tem chances de conseguir a classificação por meio da soma de pontos, já que está a apenas dois do Guaraní-PAR, atual melhor colocado.

Leia mais: Ponte Preta vira sobre o São Paulo no Morumbi e sai na frente na semifinal

Para a partida desta quinta, o técnico do Libertad, Pedro Sarabia, terá quase todos seus jogadores à disposição. O único desfalque é o volante Claudio David Vargas, que levou uma cotovelada no último jogo do time, quando perdeu para o próprio Guaraní-PAR, pelo Clausura, e ainda sente dores.

Em contra-partida, a classificação para a Libertadores já não é mais objetivo para o Lanús. O clube já garantiu a vaga pela própria Sul-Americana, por ser o time argentino melhor colocado na competição. O que motiva os granates é a conquista do título, para coroar o bom ano da equipe, que faz boa campanha também no torneio nacional.

O sonho de ser campeão se mantém vivo no Campeonato Argentino. O Lanús é o terceiro colocado do Torneo Inicial e está a apenas dois pontos do líder San Lorenzo, faltando três rodadas para o término. Apesar disso, os jogadores garantem não se deslumbrar com o momento e ter a concentração necessária para as duas competições. “Essa partida é especial, como jogar clássicos. Assim, pouco interfere a nossa situação ou a deles nos campeonatos nacionais. A ideia é conquistar um resultado positivo, que, para nós, é vencer”, declarou o volante granate Diego González.

Guilhermo Barros Schelotto, treinador da equipe, não terá desfalques, tendo em mãos uma boa geração de jogadores, como os jovens Melano, Acosta, Díaz, Benítez, González e Ayala, meio-campista paraguiaio que veio do próprio Libertad no ano passado e agora encara seu ex-time. A principal referência ofensiva do Lanús, entretanto, é o veterano uruguaio Santiago Silva, que acumula passagens por times como Boca Juniors, Vélez Sarsfield, Fiorentina e Corinthians.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.