Tamanho do texto

Capacidade do estádio Moisés Lucarelli não atende às exigências da Conmebol para a semifinal da Copa Sul-Americana

Nesta segunda-feira, a Conmebol confirmou que o jogo de volta da semifinal da Copa Sul-Americana, entre Ponte Preta e São Paulo , não será no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, casa da Ponte. O regulamento da competição prevê que, nesta fase, todos os campos devem apresentar uma capacidade superior a 20 mil expectadores.

O Moisés Lucarelli foi vetado pelo Conmebol para o jogo de volta entre Ponte Preta x São Paulo
Gazeta Press
O Moisés Lucarelli foi vetado pelo Conmebol para o jogo de volta entre Ponte Preta x São Paulo

Veja a tabela da Copa Sul-Americana

Porém, o que gerou a indignação por parte dos alvinegros foi a postura da diretoria são-paulina, que solicitou a mudança de local após conferir o laudo do Majestoso no site da Federação Paulista de Futebol, que expõe a sua infraestrutura para 16,9 mil lugares. Na visão do presidente da Macaca, Márcio Della Volpe, a atitude do clube paulistano foi "mesquinha", já que Deportivo Pasto (COL) e Vélez Sarsfield (ARG) aceitaram disputar as suas respectivas no estádio.

Blog do Jorge Nicola:  Jadson vira moeda de troca no São Paulo

"Se o São Paulo não tivesse questionado, o jogo seria aqui normalmente. É lamentável que um tricampeão mundial tenha chegado a este ponto: uma atitude mesquinha, picuinha. Em vez de se preocupar com futebol, está se preocupando com capacidade de estádio, alegando que aqui é maltratado. Ninguém ganha com isso. Nosso estádio já estava preparado e aqui a Polícia garante a segurança em grandes eventos, tem o know-how para isso. É uma tristeza também para a cidade de Campinas, que poderia receber uma semifinal de Sul Americana e foi cerceada desse direito", declarou o mandatário.

Della Volpe ainda ressaltou que tal medida acaba por acentuar a rivalidade entre as torcidas, que já é conturbada. Em 2005, um líder da torcida ponte-pretana, Anderson Thomaz, o "Conde", fora morto em um confronto com são-paulinos nos arredores do estádio pontepretano.

"Agora sim a insegurança está instalada: vamos colocar 20 mil torcedores na estrada e vai ser aquela complicação, pois nossa torcida estará raivosa por não jogar em casa. Infelizmente isso tem sido comum na vida do São Paulo. Eles brigam tanto com outros times que parece que gostam disso. Eles chegaram a fazer um dossiê. São mais ou menos 100 páginas detonando o Majestoso, o que é no mínimo curioso, sabendo que eles jogaram aqui no Paulista e no Brasileiro sem nunca apontar um problema. Além do mais, o Deportivo Pasto e Vélez Sarsfield jogaram aqui e o delegado da Sul-Americana elogiou muito o Moisés Lucarelli, as condições, o tratamento", ressaltou.

O provável palco do embate entre de volta entre Ponte e São Paulo na Sul-Americana é o estádio Romildo Vítor Gomes Ferreira, em Mogi Mirim, distante 50 quilômetros de Campinas. Oficialmente, o complexo esportivo tem capacidade para receber um público de 20,5 mil pagantes. A diferença mínima para os 19,8 mil de capacidade do Moisés Lucarelli deu mais munição para Della Volpe voltar a atacar a diretoria são-paulina:

"Queremos agora que a própria FPF e a CBF oficializem de maneira clara a capacidade do estádio que iremos escolher, pois chegou até nós a informação de que o time da capital já estaria questionando a capacidade do estádio do Mogi Mirim, demonstrando mais uma vez sua clara intenção de prejudicar o adversário fora do gramado", finalizou.

O jogo de ida entre as equipes está marcado para esta quarta-feira, às 21h50 (de Brasília), no estádio do Morumbi, em São Paulo. A partida de volta, ainda sem local confirmado, será no dia 27.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.