Tamanho do texto

O São Paulo, adversário do time de Campinas na semi da Sul-Americana, pediu à Conmebol a mudança no local no jogo de ida, por não atender a capacidade mínima de 20 mil pessoas

Após uma fracassada tentativa de diálogo com o adversário São Paulo , que pediu à Conmebol a mudança do local do primeiro jogo da semifinal da Copa Sul-americana, a Ponte Preta apelou à FPF (Federação Paulista de Futebol) e à CBF (Confederação Brasileira de Futebol) para conseguir a liberação da partida em seu estádio.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

A acusação tricolor é de que o Moisés Lucarelli não possui a capacidade mínima de 20 mil lugares, como exige o regulamento do torneio. No entanto, a entidade sul-americana já avisou que irá acatar o que for passado pela CBF, porque a garantia de segurança é de responsabilidade de cada federação nacional.

Confira tabela de jogos, notícias e artilharia da Copa Sul-Americana

O presidente da Ponte, Márcio Della Volpe, solicitou a visita de um grupo de engenheiros da FPF para analisar o estádio. O laudo já foi entregue à FPF e o presidente da entidade, Marco Polo Del Nero, ficou de analisar e repassar à CBF que, caso aprove, repassará à Conmebol.

De acordo com um laudo do Corpo de Bombeiros, o Majestoso teria capacidade para receber até 27.946 pessoas. Segundo Della Volpe, a análise dos engenheiros da FPF é diferente. "Não é um laudo igual ao do Corpo de Bombeiros, que indica a necessidade de obras para a liberação de mais lugares. É um documento que atesta a capacidade nominal do estádio, semelhante ao que foi feito pelos Bombeiros em setembro", disse o presidente da Macaca.

O jogo de ida da semifinal está marcado para o dia 20 de novembro, às 21h50 (de Brasília), no Morumbi, em São Paulo. A partida de volta será no mesmo horário, no dia 27 de novembro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.