Tamanho do texto

Andrés Sanchez esteve nos Emirados Árabes Unidos para negociar a venda dos direitos do nome do futuro estádio e pretende fechar a empresa e o valor até o fim do ano

Andrés Sanchez retornou recentemente de uma viagem aos Emirados Árabes Unidos, onde negociou a venda dos direitos de nome do futuro estádio do Corinthians em Itaquera, na Zona Leste de São Paulo, com a companhia aérea Emirates (a mesma que batizou a arena londrina do Arsenal). O ex-presidente ainda apontou uma empresa petroleira e uma cervejaria como interessadas em fechar contrato com o clube.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

Veja fotos das obras no estádio do Corinthians:


Apesar de confirmar as negociações - o Corinthians tenta sacramentar um acerto o mais rapidamente possível, para arcar com as obras da construtora Odebrecht -, Sanchez tentou adotar um tom misterioso sobre o assunto. "Vocês viram a minha passagem para saber ser fui mesmo para os Emirados? Fui para lá acompanhar outras coisas", disse, irônico.

Confira classificação, notícias, tabela de jogos e artilharia do Brasileirão

Alguns segundos depois, no entanto, o ex-presidente confirmou que se reuniu com empresários árabes para tratar de Itaquera. "É lógico que também tive conversas de naming rights , mas estava querendo ver coisas de futebol. Estive com o presidente da federação de Dubai e Abu Dhabi", contou, fazendo piada sobre o seu encontro com o dirigente. "Foi excelente. Falamos de cirurgia plástica. Vocês não imaginam o quanto manjo disso."Sanchez está mais inteirado sobre a operação para nomear a arena corintiana. Questionado se uma cervejaria também aparecia no páreo, ele assentiu e até mesmo acrescentou: "Isso. É em cima disso aí. Também há uma empresa de petróleo. Estamos conversando com três ou quatro e vamos ver se fechamos acordo até o final do ano".

A pressa do Corinthians para vender os direitos de nome de sua casa, contudo, não intimida Sanchez, o encarregado de solucionar o problema. "Não existe prazo algum", resmungou, já irritado com o tema.

O dirigente fica ainda mais emburrado com um dos entraves para as empresas manifestarem vontade de batizar o estádio que sediará o jogo de abertura da Copa do Mundo de 2014. "A grande imprensa é ridícula nessa parte. Ficham chamando a Arena Corinthians de Itaquerão, Fielzão e o raio que os parta. Se não falam Arena Corinthians hoje, imaginem depois. Para os patrocinadores, o que interessa é o que sai na mídia", lastimou Andrés Sanchez.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.